compartilhar

DAQUI HÁ UM MÊS: Na Barragem do Paranoá, tráfego de caminhões será proibido em 1° de março

A via será sinalizada com placas para os caminhoneiros terem tempo hábil a fim de buscarem rotas alternativas, afirma o DER-DF

Caminhões estarão proibidos de trafegar sobre a barragem do Paranoá a partir de 1º de março. 

A decisão ocorreu após o governador Ibaneis Rocha (MDB) solicitar laudo a respeito da estrutura do local.

O presidente da Companhia Energética de Brasília (CEB), Edison Garcia, disse que a classificação é de risco baixo.

A via será sinalizada com placas para os caminhoneiros terem tempo hábil a fim de buscarem rotas alternativas, segundo o Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF).

 

Até que se estude a velocidade máxima após a medida, será permitido transitar por, no máximo, 40km/h.

O DER-DF emitirá uma instrução de serviço oficializando a proibição de tráfego de caminhões no local e especificando a pesagem dos veículos proibidos de trafegar.


A autarquia fará, ainda, recapeamento sobre os 630 metros da via da barragem do Paranoá a partir de 6 de fevereiro. Haverá reforço de 5 centímetros de pavimento asfáltico, além de sinalização e limpeza das saídas de água (drenagem).

O prazo para execução da obra é de 15 dias e não haverá interrupção do trânsito, conforme assegurou o DER-DF.

Segurança
O relatório da CEB mostrou que a represa não apresenta risco às comunidades residentes próximas ao espelho d’água.

Após a tragédia em Brumadinho (MG), que deixou um rastro de destruição e mortes na última sexta-feira (25), Ibaneis determinou a elaboração de um estudo sobre a segurança da barragem do Paranoá.


No entanto, as condições da estrutura já preocupam há mais tempo o Conselho de Engenharia e Agronomia (CREA-DF). Em 17 de dezembro de 2018, a entidade solicitou à Companhia Energética de Brasília CEB informações sobre a manutenção e segurança do local. Dez dias depois, criou uma comissão para acompanhar o assunto.

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS