Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

APÓS PENTE-FINO: Secretário da Fazenda fala em rombo bilionário nas contas do Governo do Distrito Federal

Clemente constatou o rombo de R$7,7 bilhões nas contas públicas. O secretário disse que vai fazer o planejamento e a programação financeira de 2019, “para conseguir honrar os compromissos atuais e passados"

O secretário de Fazenda do Distrito Federal, André Clemente afirmou nesta quinta-feira (31) que após um pente -fino nos órgão do Governo do Distrito Federal (GDF), foi constatado o rombo de R$ 7,7 bilhões nas contas públicas.

Clemente explicou que após o levantamento nas 108 unidades orçamentarias, entre secretarias e administrações, foram constatadas as diversas dívidas, que vão desde fornecimento de alimentação, até o pagamento de terceirizados em serviços de limpeza, informática e segurança.


Quando questionado sobre os dados apresentados pela antiga gestão, do governador Rodrigo Rollmberg (PSB), Clemente se limitou em afirmar.

“Bem o que eu tenho são os números, com base na contabilidade fechada em 31 de dezembro de 2018. E números que nós apuramos em seguida e que diz respeito ao mesmo período. Esses números que nos apuramos não estão contidos nos balanços e nos demonstrativos de 2018”.


Das dívidas assumidas em caixa pelo chefe do Executivo, R$ 2.685.171.267,00 eram de restos a pagar e outras obrigações financeiras; R$ 682.439.417,00 de despesas de exercícios anteriores; R$ 590.119.658,00 pagos em pecúnia (ou seja, em dinheiro); R$ 4.045.476.606,00 referentes à terceira parcela do aumento dos servidores; R$ 353.060.163,00 de débitos diversos com servidores; R$ 393.377.575,00 referentes à requisições de pequeno valor (RPV); e R$ 782.397.111,00 da folha de pagamento da Saúde e da Educação.


Em relação a comemoração do ex-governador Rodrigo Rollmberg (PSB) sobre o balanço positivo de seu governo, alegando ter feito menos despesa que arrecadações, o secretário reforçou que os números de R$ 7,7 bilhões estavam fora desse balanço e afirmou que “questões conceituais, discussões conceituais, nós não vamos entrar nisso”.


Clemente lembrou que a lei orçamentária que trata das despesas públicas e a Lei de Responsabilidade Fiscal são muito claras, em relação ao registro de todas as despesas, e a importância da transparência nas contas públicas.

O secretário disse que vai fazer o planejamento e a programação financeira de 2019, “para conseguir honrar os compromissos atuais e passados, e obviamente os órgãos de controle vão fazer o trabalho deles”.

Pagamento de servidores

A terceira parcela do reajuste dos servidores públicos do GDF, que está atrasada desde 2015 na época do governo de Agnelo Queiroz (PT). O retroativo dessa dívida equivale a mais de R$ 4 bilhões, além do R$ 1,319 bilhão, valor do ajuste previsto para o período de janeiro e dezembro de 2019.

O secretário de Fazenda afirmou que todas as dívidas serão pagas. E demonstrou otimismo com o futuro econômico do DF com aumento da arrecadação. ““Temos a convicção de que a receita vai crescer, mesmo porque estamos aumentando a base de contribuintes. Como? Trazendo novas empresas, gerando novos empregos e rendas”.

 

Fonte: *Via Diário do Poder/Clipping

COMENTÁRIOS