compartilhar

GESTÃO MILITAR: Em votação, última escola decide por se "militarizar" a partir desta segunda-feira

Proposta venceu com 58% dos votos de professores, pais e alunos. Quatro escolas vão participar do projeto piloto.

A quarta e última escola que precisava passar por votação decidiu liberar a gestão militar no Centro Educacional 7 de Ceilândia, cidade-satélite de Brasília.

A proposta venceu com 58% dos votos nesta quinta-feira (7). A surpresa foi entre os professores: inicialmente resistentes à ideia, 61 dos 99 votaram a favor.


Foram 12 horas de votação, das 8h23 às 20h23. Ao todo, 631 pessoas – pais, alunos e professores – registraram a opinião respondendo sim ou não à “militarização” do CED 7.


Na escola, estudam cerca de 2,5 mil alunos.

Foi tentada uma votação na terça (5), mas um tumulto no local acabou adiando a data.

Durante o processo de eleição, foram usadas cédulas de duas cores para facilitar a visualização. “A cédula amarela é a cédula dos professores e funcionários do colégio e a cédula rosa é dos demais, alunos pais e responsáveis”, afirmou o professor Marcus Borsuque.

Cédula de votação no CED 7 de Ceilândia — Foto: Reprodução/TV Globo

Cédula de votação no CED 7 de Ceilândia 

No momento da contagem, às 20h30, a comissão de apuração se reuniu na mesma sala onde ocorreu a votação. Para evitar tumulto, porém, todos tiveram que ir para o lado de fora.

Às 21h45, houve um impasse: o número de cédulas era maior do que a quantidade de assinaturas. Por isso, a contagem precisou ser refeita.


O resultado só saiu às 22h30. O efeito disso é que o CED 7 passa a se chamar Colégio da Polícia Militar CED 7. A partir de segunda-feira (11), os militares passarão a integrar a equipe da escola, e os alunos receberão o uniforme novo.

Fachada da escola CED 7 de Ceilândia — Foto: Reprodução/TV Globo

Fachada da escola CED 7 de Ceilândia 

Outras três escolas já tinham aprovado as mudanças: CED 1 da Estrutural, CED 3 de Sobradinho e CED 308 do Recanto das Emas.

Caso o projeto piloto apresente bons resultados nas quatro escolas, a ideia pode ser incorporada em outras 36 escolas da Grande Brasília.

Discussão durante votação para definir militarização no CED 7 de Ceilândia — Foto: Reprodução/TV Globo

Discussão durante votação para definir militarização no CED 7 de Ceilândia

O que mudaVotação no CED 7 de Ceilândia para decidir sobre militarização — Foto: Reprodução/TV Globo

 

 

  • Estudantes deverão usar um uniforme diferente, que será distribuído de forma gratuita.
  • Meninos terão que usar cabelo curto; meninas, coque;
  • Cada escola vai receber de 20 a 25 militares – PMs ou bombeiros que estão na reserva ou sob restrição médica.
  • A gestão vai ser compartilhada: professores, diretores e orientadores vão continuar cuidando da parte pedagógica. Os militares, das atividades burocráticas e da segurança, como controle de entrada e saída, horários e filas;
  • Os policiais vão dar aulas, no contraturno, de musicalização, ética e cidadania.

 

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS