Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

CONTINUA FALTA DE RESPEITO: Mulher de 65 anos aguarda há cinco meses por cirurgia no InCor

Mercedes Maria de Santana sofre com os graves sintomas provocados por um aneurisma e precisa passar por procedimento de correção urgente

Internada há 155 dias no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), Mercedes Maria de Santana, 65 anos, trava uma batalha contra o tempo para realizar cirurgia de correção do aneurisma.

Apesar de decisão judicial favorável, a mulher não consegue fazer o procedimento, o que vem tirando o sono dos familiares. De acordo com o filho, Alessandro Paiva, a aposentada corre risco de morrer “a qualquer momento”.


Na unidade de saúde, a paciente aguarda vaga no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), onde fará cirurgia de correção endovascular de aneurisma, dissecação da aorta torácica e colocação de endoprótese reta ou cônica.

Para agilizar o procedimento cirúrgico, o filho recorreu à Defensoria Pública do Distrito Federal por várias vezes e diz ter recebido todo o apoio do órgão. “Eu realmente não sei mais o que falta. Estou nessa peleja, nessa luta. Tenho a decisão do juiz favorável e o apoio do defensor, que, inclusive, se mostrou bastante irritado com essa demora”, afirmou.

Material cedido ao Metrópoles

Alessandro conta que estava tudo previsto para que Mercedes realizasse a cirurgia na última sexta-feira (8/2), no entanto, duas horas antes do procedimento, a família foi surpreendida com a informação de que, “por motivos externos, não haveria como fazê-la”. “Eu não sei de quem é a culpa, nem se o problema é o hospital. Mas momentos antes nos deram essa notícia. A saúde da minha mãe está muito debilitada, não é justo que façam isso com ela. Primeiro falam que vai poder fazer a cirurgia, duas horas depois desmentem”, reclamou Alessandro.


O cancelamento da cirurgia desrespeita decisão judicial expedida pelo 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF. Na decisão, expedida no último dia 5 de fevereiro, o juiz responsável pelo caso estabelece “prazo máximo de cinco dias” para a realização do procedimento, ou seja, deveria ocorrer até o último domingo (10/2).

Na sentença (veja abaixo), o magistrado pede que a Secretária de Saúde forneça todos os “suportes de internação necessários em qualquer hospital da rede pública de saúde, conveniada ou contratada ou, em caso de indisponibilidade, que o faça as suas expensas junto à rede privada de saúde, sob pena de sequestro de verba pública”.

 

Material cedido ao Metrópoles

MATERIAL CEDIDO AO METRÓPOLES

Outro lado
Procurada pela reportagem, a Secretaria de Saúde informou que a paciente “está regulada para cirurgia a ser realizada no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal”. A pasta também informou que Mercedes “será chamada para o procedimento logo que possível”.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde completou dizendo que a “atual gestão da pasta não mede esforços para que todos os pacientes que aguardam por uma cirurgia sejam atendidos o mais brevemente possível”.

SOS Saúde
Programa lançado em janeiro pelo governado Ibaneis Rocha (MDB), o SOS Saúde tem mobilizado um mutirão de cirurgias eletivas, principalmente ortopédicas, cardíacas e oncológicas, para a próxima semana.

De acordo com dados parciais da atual gestão da pasta, desde o primeiro dia de 2019, a rede realizou 7.347 cirurgias, em todas as especialidades. “Em um período de apenas sete dias, foram 1.519 procedimentos por meio do programa”, informou a secretaria em nota.

 

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS