compartilhar

EDUCAÇÃO ALIMENTAR: Após acordo com MP-DF, cantinas irregulares em escolas são fechadas

Em 2012, a Promotoria de Justiça de Defesa da Educação entendeu que deveria haver licitação para a instalação das lanchonetes

Teve desfecho nessa semana ação civil pública ajuizada em 2012, pela Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (Proeduc), que pedia o fechamento de pelo menos 300 cantinas particulares funcionando sem licitação nas escolas públicas.

 

De acordo com o Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF), todos os estabelecimentos irregulares foram desocupados após determinação judicial.

 

Na época, a Proeduc entendeu que havia a necessidade de realização de licitação para que as cantinas pudessem ser ocupadas pelos estabelecimentos comerciais particulares.

 

A Justiça aceitou o argumento da promotoria e determinou a desocupação dos espaços.

O MP-DF foi informado da desocupação total pelo secretário da Educação, Rafael Parente.

Em junho de 2018, a promotoria firmou acordo com as 159 cantinas particulares que ainda operavam nas escolas públicas da rede de ensino do Distrito Federal.

Resultado de imagem para cantinas NAS ESCOLAS DF

Teve desfecho nessa terça-feira (12/3) ação civil pública ajuizada em 2012, pela Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (Proeduc), que pedia o fechamento de pelo menos 300 cantinas particulares funcionando sem licitação nas escolas públicas.

De acordo com o Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF), todos os estabelecimentos irregulares foram desocupados após determinação judicial.

Resultado de imagem para cantinas NAS ESCOLAS DF

 

 

COMENTÁRIOS