Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

TEMPORADA DA SECA: Bombeiros começam a montar estratégia contra queimadas na estiagem

Primeira fase deve durar dois meses e é marcada por ações preventivas. Estão previstas outras quatro etapas para o trabalho de combate a incêndios florestais

O Corpo de Bombeiros começa a se preparar para a seca em Brasília.

 

Foi lançada nesta sexta-feira (11), no Parque Ecológico Ezechias Heringer, no Guará, a operação Verde Vivo, que visa minimizar os danos causados por incêndios florestais.


A primeira fase — de um total de cinco — tem ações de prevenção e dura cerca de dois meses. Engloba atividades como palestras em escolas, confecções de abafadores para a comunidade rural, instruções para a tropa e manutenção de equipamentos. Também é neste momento que os militares visitam áreas de risco.


Neste ano, a operação começou mais cedo que em 2015, quando o início foi em 21 de março.

 

A intenção da antecipação, segundo o comandante do Grupamento de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Gláuber Anderson Martins de La Fuente, é simples: estar mais preparado para a época de seca.


O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Hamilton Santos Esteves Junior, acrescenta que o ano passado teve queimadas acima do esperado devido aos efeitos do El Niño.

 

“É muito importante termos começado antes para que a soma de ocorrências em 2015 não se repita.” De acordo com ele, durante o período de estiagem, foram registrados 5.178 casos, que resultaram em 12 mil hectares de área queimada.


“Tivemos em 2015 o ano mais quente do ano e, infelizmente, os números foram altos”, explica o tenente-coronel Gláuber de La Fuente. A expectativa para 2016 é que o fenômeno climático volte a ocorrer de forma violenta.


Fases – As quatro fases seguintes serão de combate e variam de acordo com a intensidade dos focos.

 

Nesta primeira etapa, haverá 150 bombeiros disponíveis para as atividades de prevenção. Já a partir de terça (15), serão feitos os primeiros voos para detectar áreas de risco.

 

Na segunda fase, isso deve ocorrer diariamente para municiar as viaturas terrestres.

 

 

A terceira e a quarta etapas devem ser as de maior número de focos de incêndios, e o efetivo a ser empregado também será ampliado.

 

Na última, o quantitativo deve cair, até que fique constatada a chegada do período de chuvas.

 


Esta é a 16ª edição da operação Verde Vivo. Na sexta-feira (18), ocorrerá a primeira instrução com os militares. Na mesma data, os bombeiros visitarão áreas onde há mais risco de incêndio.


Convênio – Durante a solenidade de lançamento da ação, também foi assinado um convênio entre o Corpo de Bombeiros e a Companhia de Saneamento Ambiental, representada pela assessora de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da empresa pública, Raquel de Carvalho Brostil.

 

A parceria prevê a instalação de caixas d’água na Bacia do Rio Descoberto, manancial de abastecimento do Distrito Federal, para facilitar o trabalho de combate ao fogo.

O local é um dos mapeados pelos bombeiros como ponto crítico devido ao corredor ecológico nas proximidades.


Os subsecretários de Proteção e Defesa Civil, da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, coronel do Corpo de Bombeiros Sérgio José Bezerra, e de Áreas Protegidas, Cerrado e Direitos Animais, da Secretaria do Meio Ambiente, Romulo Mello, também estiveram no evento.

 

COMENTÁRIOS