A Uber criticou duramente a aprovação do Projeto de Lei n° 717/2019 pelos deputados distritais. Em nota divulgada nesta quarta-feira (12/02/2020), a maior empresa de transporte privado por aplicativo do país disse que algumas das determinações estipuladas na norma “são inconstitucionais, outras não são factíveis e há as que vão prejudicar a experiência dos usuários”.

O PL, votado em dois turnos na noite de terça-feira (11/02/2020) na Câmara Legislativa, cria obrigações para as empresas de transporte por app que visam aumentar a segurança de motoristas e passageiros. O projeto foi votado após o Distrito Federal registrar quatro assassinatos de condutores neste ano.

Para a Uber, a proposta, de autoria do deputado Daniel Donizet (PSDB), foi aprovada “sem o devido entendimento sobre como seriam implementados (os dispositivos) e integrados com as autoridades públicas locais, e sem embasamento ou pesquisa que comprovasse a sua eficácia em detrimento, por exemplo, de outras ferramentas que estão sendo consideradas internamente pela empresa”.

*Via: Metrópoles/Clipping