O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) apresentou denúncia contra o estelionatário Marcelo José Neves (foto em destaque), 36 anos. O Don Juan é acusado de se apossar de R$ 193 mil de uma empresária em 2011.

O homem é alvo de investigação conduzida pela coordenação de Repressão a Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf). Segundo os próprios investigadores, como a vítima não quis registrar ocorrência, não foi possível denunciá-lo antes.

A empresária só procurou a Polícia Civil do DF (PCDF) após outra denúncia apresentada contra o estelionatário vir à tona. De acordo com o delegado Miguel Lucena, na época do crime, o acusado se ofereceu para comprar equipamentos para uma clínica da empresária.

Ele teria se apossado de R$ 193 mil da mulher, contudo, nunca chegou a comprar os aparelhos e também não devolveu o dinheiro. Em outro caso a que ele responde, uma advogada perdeu o apartamento, um veículo e vários empréstimos, totalizando R$ 600 mil em perdas.

Mais recentemente, recebeu R$ 3,1 mil de um cliente para fazer uma cirurgia em um cachorro e não fez o procedimento.

Don Juan

A mulher que perdeu patrimônio avaliado em R$ 600 mil após ser vítima de Marcelo conheceu o suspeito ainda na infância, durante aulas de natação.

“Ele começou a se reaproximar dela, querendo saber informações financeiras e, com o tempo, foi diminuindo ela. Dizia que ela não sabia investir, que poderia estar ganhando mais dinheiro e que ele era expert nessa matéria de finanças”, contou o advogado criminalista Antonio Alberto do Vale Cerqueira, que representa a vítima.

Para o advogado da vítima, Marcelo é “um sujeito perigosíssimo” e que tem chances de voltar a aplicar novos golpes. “Ele provavelmente já está fazendo isso neste momento. Porque é alguém que tem antecedentes e que vive desse tipo de atitude”, salientou.

O suspeito já tinha passagem pela polícia por aplicar golpe semelhante contra uma idosa. O Metrópoles tentou contato com o denunciado, mas não havia conseguido resposta até a última atualização desta reportagem.

Buscas

Em setembro do ano passado, investigadores da Corf cumpriram mandado de busca e apreensão em um apartamento na Quadra 307 da Asa Sul, onde mora a mãe do suspeito, e na casa dele, na 705 Norte. Os policiais precisaram de um caminhão para transportar todos os produtos de luxo comprados pelo criminoso com o dinheiro da denunciante.

Durante o envolvimento com a vítima, até a mãe do fraudador se aproveitou da situação. Ambos usaram os cartões de crédito da mulher, provocando rombo de R$ 166 mil, e ainda realizaram empréstimos bancários que somaram R$ 54 mil.

Depois que se apossaram do patrimônio, os golpistas alegaram que não havia nem mais um centavo no fundo. Assim, cortaram relações com a denunciante.

Confira bens comprados com o dinheiro do golpe:
Produtos sofisticados

Durante o cumprimento de busca, os investigadores recolheram dezenas de garrafas de vinhos sofisticados, uísques importados e espumantes de marcas famosas. Entre os rótulos, havia uma garrafa de vinho que custa R$ 3 mil. Os policiais também apreenderam móveis, eletrodomésticos, perfumes e cosméticos importados, além de bolsas e carteiras de marcas famosas.

Todos os produtos foram transportados em um caminhão até as dependências do Departamento de Polícia Especializada (DPE). Os produtos ficarão apreendidos até a conclusão do inquérito policial.

Os investigadores pediram à Justiça a quebra dos sigilos fiscal e bancário do estelionatário. O objetivo é apurar o caminho percorrido pelo dinheiro da vítima. Além disso, a polícia quer identificar outras mulheres que, supostamente, tenham caído no golpe de Marcelo Neves e perdido grandes quantias em dinheiro.

*Via: Metrópoles/Clipping