compartilhar

AEDES AEGYPTI: Secretaria de Saúde notificou quase 12,5 mil casos de dengue até abril

Dez pessoas morreram; há uma suspeita de morte por dengue hemorrágica.

O último boletim da Secretaria de Saúde do Distrito Federal com os números da dengue mostra que de janeiro até o dia 20 de abril, foram notificados 12.438 casos da doença na Grande Brasília.

Desses, segundo a assessoria, 11.147 são casos prováveis, o restante foi descartado como dengue.

 

Em relação ao boletim da semana anterior, as notificações tiveram um acréscimo de 10%.

O número de mortes permanece o mesmo.

 Foram 10 óbitos, segundo a secretaria. Um novo boletim deve ser divulgado nesta quarta-feira (8).

As localidades com o maior número de casos são:

 

  • Planaltina: 1.326
  • São Sebastião: 1.220
  • Ceilândia: 1.138

 

 

Suspeita de dengue hemorrágica

 

Na dengue hemorrágica, há um 'colapso' do sistema circulatório com sangramentos internos — Foto: Qimono/Pixabay

Na dengue hemorrágica, há um 'colapso' do sistema circulatório com sangramentos internos

Um militar, de 42 anos, morreu durante a madrugada desta terça-feira e, segundo a família, a causa foi dengue hemorrágica.

De acordo com a viúva, ele foi internado na segunda (6), no Hospital das Forças Armadas e morreu às 3h30 dessa terça.

O hospital não confirmou o diagnóstico, mas a família afirma que os médicos disseram se tratar de dengue hemorrágica. O corpo do militar será sepultado em Natal (RN), onde mora a maior parte da família.


No final da tarde a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), da Secretaria de Saúde, informou que não havia sido notificada sobre o caso até o final da tarde desta terça.

Segundo a Divep, quando há uma notificação, "uma equipe da vigilância epidemiológica investiga o óbito, avalia o exame e, se houver necessidade, faz uma contraprova. Somente após a investigação o óbito é confirmado", explica a Vigilância Epidemiológica

Até a publicação desta reportagem, o Hospital das Forças Armadas não havia confirmado a causa da morte do militar.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS