Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

PARALISAÇÃO CONTINUA: Metrô de Brasília corta o ponto de servidores. Greve completa 36 dias

Medida passou a valer desde o último dia 31 e afeta todos que aderiram à paralisação por melhoria. Nova rodada de negociação será na segunda

Desde o dia 31 de maio, os servidores da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô) que aderiram à greve da categoria estão com o ponto cortado.

A informação foi confirmada pelo órgão nesta sexta-feira, quando o movimento paredista completou 36 dias.

A decisão atinge 1.200 dos 1.254 funcionários da empresa.

O Sindicato dos Metroviários reclamou da medida e disse que uma liminarobtida pela entidade em 30 de maio impede o corte de benefícios e determina o pagamento integral dos salários, o que não teria sido cumprido por parte da empresa.

Resultado de imagem para METRO DF GREVE

A liminar foi expedida pela presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), desembargadora Maria Regina Guimarães.

“Os salários não poderiam ser descontados ainda, porque não houve julgamento da ação que analisa se há ilegalidade na greve. A pergunta que faço é: por que esperaram tanto tempo para entrar com o dissídio, que é a forma de resolver a greve? A intenção, então, não era acabar com o movimento, mas empurrar o prazo para que o atual acordo coletivo vencesse”, reclama a diretora de Comunicação do sindicato, Renata Campos.

Resultado de imagem para METRO DF GREVE

Renata afirma ainda que o auxílio-alimentação foi pago com atraso de três dias e tanto os descontos quanto a retirada dos benefícios seriam uma forma de “retaliar os empregados” do Metrô.

“Queremos também uma multa pelo descumprimento da liminar que conseguimos. O TRT manteve nossos benefícios, e o Metrô atrasou o pagamento”, afirmou Renata. Segundo ela, outras duas questões entraram na pauta. “Queremos os dias da paralisação abonados e que os descontos que já foram realizados, ilegalmente, sejam desfeitos.”

O Metrô confirmou o corte do ponto, mas disse à reportagem que não se manifestaria sobre a decisão.

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS