compartilhar

TABACARIA PIRATA: Policia Civil fecha depósito de cigarros contrabandeados em Ceilândia

Carga vinda do Paraguai é avaliada em pelo menos R$ 200 mil. Além dos produtos, agentes também apreenderam veículos usados no contrabando

Três homens de 43, 53 e 58 anos estão presos, acusados de integrar uma associação criminosa que receptava e revendia cigarros e produtos de tabacaria contrabandeados do Paraguai. 

Agentes da 19ª Delegacia de Polícia (Setor P Norte) investigaram o grupo, que agia em Ceilândia, durante dois meses.

Os produtos apreendidos são avaliados em pelo menos R$ 200 mil.

Segundo o delegado-adjunto Ricardo Bispo Farias, os criminosos agiam na cidade desde 2013.
O chefe da quadrilha seria Pedro Antônio Dias, 43, que mantinha um depósito na QNP 17.
O irmão de Pedro era o braço direito dele.
“Os produtos eram comercializados no Distrito Federal e na região do Entorno. No entanto, os irmãos também vendiam produtos de tabacaria nacionais, sonegando os impostos”, explica Farias.

“O terceiro detido é um comerciante de Ceilândia que revendia os produtos no comércio dele, mas também era responsável por repassar estas mercadorias para outros estabelecimentos”, acrescenta.
Além dos produtos escondidos no depósito, policiais apreenderam dois veículos que eram utilizados para o transporte dos produtos.
Inicialmente, o trio foi autuado por receptação qualificada. Um dos homens responderá por posse ilegal de arma de fogo, por estar com o artefato em casa durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão.
“Por enquanto, eles foram autuados na receptação qualificada. Havia diversos produtos de origem ilícita no depósito, inclusive, cargas desviadas de indústrias nacionais. Nos próximos dias, eles também serão indiciados por contrabando e associação criminosa. Isso será possível por meio da perícia e de outros elementos da investigação. Também temos suspeitas de que eles buscavam parte das mercadorias no Paraguai, mas isso ainda não foi confirmado”, finaliza o delegado.

 

COMENTÁRIOS