compartilhar

"MÍDIA ESQUECEU": Bolsonaro expõe caso Rhuan, menino torturado e esquartejado pelas "mães" gays

Mídia brasileira e mundial preferiu dar destaque a casal de lésbicas agredido em Londres

Jair Bolsonaro lançou luz, nesta terça (18), sobre um caso que desapareceu rapidamente do noticiário: o garotinho de 9 anos, Rhuan, que teve o órgão genital decepado, foi torturado durante meses, assassinado e esquartejado pela própria mãe e sua companheira, na cidade-satélite de Samambaia, a poucos quilômetros do Palácio do Planalto.

 

A polícia acredita que Rhuan foi morto e cortado em pedaços por ser menino.

Bolsonaro defendeu prisão perpétua para casos assim. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

No dia em que as duas mulheres foram presas por matar e esquartejar o menino, as manchetes se voltavam contra um caso de homofobia.


No Brasil e no mundo, todo destaque foi dedicado a duas mulheres vítimas de intolerância, agredidas em Londres por serem gays.

Sobre a intolerância em Londres, um site brasileiro cravou: “homofobia mata”. O caso Rhuan mostrou que heterofobia também. Até esquarteja.

 

Fonte: *Via Diário do Poder/Clipping

COMENTÁRIOS