compartilhar

MAIS AVIÕES: Latam anuncia 185 voos extras para Brasília na alta temporada entre 30 de junho e 16 de agosto

Operação da empresa aérea em Brasília possui voos para 21 cidades

Com a chegada da alta temporada de inverno, a empresa aérea Latam anunciou a criação de 185 novos voos extras partindo e chegando de Brasília.
Os voos serão disponibilizados para os passageiros entre os dias 30 de junho e 16 de agosto de 2019.
As opções foram criadas para atender o aumento do fluxo de passageiros da companhia neste período, em especial devido às férias escolares.
“Temos um dos melhores aeroportos do Brasil e do mundo, uma excelente rede hoteleira e uma diversidade de atrativos turísticos. Com o aumento da conectividade da cidade no período das férias, esperamos receber mais turistas e já estamos preparando uma série de roteiros que poderão ser degustados por famílias inteiras durante o período de férias escolares”, afirmou a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça.

Vanessa defende que assim como brasilienses optam por também permanecer em Brasília, e claro, visitar outros destinos nesse período, a capital brasileira também está crescendo na procura de turistas de outras cidades.
De acordo com pesquisa realizada pelo site Kayak, no mês de maio, a capital federal está entre os três destinos que mais tiveram aumento de procura pelos turistas brasileiros que querem comprar uma passagem para viajar pelo Brasil.
“Em um ano, houve um incremento de 155% nas buscas”, enfatizou a secretária de Turismo.
De acordo com a Latam serão criados 64 voos entre Brasília e Fortaleza, 62 entre Brasília e Maceió, 42 entre Brasília e Salvador, 14 entre Brasília e Rio de Janeiro e 3 voos entre de Brasília e São Paulo/Guarulhos. A operação da Latam no Distrito Federal possui voos para 21 cidades: Belo Horizonte, Boa Vista, Cuiabá, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis,
Fortaleza, Foz do Iguaçu, Goiânia, Imperatriz, João Pessoa, Maceió, Manaus, Marabá, Natal, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro e São Paulo.

 

COMENTÁRIOS