Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

NEM COMEÇARAM DIREITO, E JÁ VÃO PRA GREVE: Motoristas do Uber reclamam de redução tarifaria e devem parar

Sete meses depois de o aplicativo Uber anunciar que diminuiria suas tarifas em Brasília, motoristas da empresa prometem paralisar seus serviços na próxima segunda-feira (28/3). A organização espera 80% de adesão no protesto

Motoristas do Uber prometem paralisar seus serviços na próxima segunda-feira (28/3).

 

 

Segundo os organizadores do protesto, a decisão foi tomada devido às baixas tarifas e ao alto número de carros inscritos no aplicativo.

Um dos organizadores do protesto, que não quis se identificar, disse ao Correio que, depois da diminuição das tarifas, houve uma grande queda em seu rendimento. "Em outubro do ano passado, eu ganhava em média R$ 1,4 mil por semana. Com os novos preços, não ganho mais que R$ 900", lamenta.



A indignação também é partilhada pelo motorista Claudinei Bribr, 32 anos. Ele contou que o aplicativo não está sendo suficiente para o pagamento das contas.

 

 

"Me senti enganado. Financiei um carro para poder entrar no projeto e, depoisi, não tive o retorno esperado", conta. Bribr relatou também que há uma entrada desenfreada de novos motoristas na empresa. "Na época em que entrei, eles eram mais seletivos quanto ao cadastro de novos motoristas. Por isso, hoje tem uma demanda muito alta, fica difícil achar passageiros", alerta.



A divulgação da paralisação é feita pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. "Acreditamos que teremos a adesão de 80% dos motoristas de Brasília", comenta a organização. A expectativa é que o protesto acorra em todas as cidades nas quais o aplicativo está disponível.



Em nota, o Uber afirmou que a alteração nas tarifas ocorreu após um profundo estudo sobre a demanda do serviço na cidade. A empresa afirmou que continua com os mesmo padrões para a entrada de novos veículos e que apenas aceitou novos modelos de carros para participar do aplicativo. A empresa não descartou voltar aos preços antigos caso comprove que as novas medidas estão atrapalhando os motoristas.

 

Fonte: *CB - Clipping

COMENTÁRIOS