compartilhar

SECURA TOTAL: Cadê a chuva? Brasília completa 100 dias de estiagem; veja previsão para a semana

Tempo pode mudar a partir do domingo, dizem meteorologistas. Última medição de chuva foi em 4 de junho. Falta dela não tem impactado nos nossos reservatórios, felizmente.

 

 

 

O Distrito Federal completa 100 dias sem chuva nesta quarta-feira (11), uma semana após a Defesa Civil declarar estado de emergência no "quadrilátero" por causa da baixa umidade.

 

A última chuva ocorreu em 4 de junho.


Na série histórica, este é o segundo período mais longo, dos últimos cinco anos, em que o Distrito Federal ficou sem chuva (veja números abaixo).

 

A medição do Instituto Nacional de Meteorologia (INMet) considera que 2017 bateu 131 dias consecutivos sem uma gota de água.

 

Veja abaixo:

 

  • 2014 - 65 dias consecutivos sem chuva
  • 2015 - 60 dias
  • 2016 - 97 dias
  • 2017: 131 dias
  • 2018: 79 dias

 

Para os especialistas, a seca é comum para o período e deve durar até a segunda quinzena deste mês.

 

A previsão é de que a chuva caia sobre a capital federal na próxima semana, e com mais intensidade a partir de outubro.

"A precipitação pode ocorrer ou não, depende da chegada de sistemas como frentes frias que avançam pelo país", explica o meteorologista Heráclio Alves.

 

Segundo o analista do INMet, a condição, no entanto, é considerada "normal para o período".

 

"O período de estiagem é de temperaturas elevadas e umidade baixa, que caracterizam o fim de inverno."

O meteorologista explica ainda que o motivo da Grande Brasília viver com longos períodos de estiagem é a massa de ar quente e seca que predomina sobre a região Centro-Oeste nesta época do ano – de maio a setembro.

"O sistema impede a formação de nebulosidade, bloqueia o avanço das frentes frias que vêm do sul do país e a desvia para o oceano", explica. "Como bloqueia a formação de nuvens, consequentemente impede a chegada da chuva".

 

"Sem cobertura de nuvens, aumenta-se a temperatura e isso declina umidade relativa do ar."

 

 

E quando a chuva chegar...

 

Com a previsão de chuva para a próxima semana, o governo distrital informou que tem "intensificado os trabalhos [de infraestrutura] para que homens e máquinas aproveitem o período de estiagem".

No Setor Habitacional Bernardo Sayão, no Guará, foram feitas obras de água, esgoto, drenagem pluvial, pavimentação asfáltica e iluminação pública.

O investimento total R$ 56 milhões. As obras iniciaram no ano passado e foram retomadas em julho deste ano.

O meteorologista explica ainda que o motivo da Grande Brasília viver com longos períodos de estiagem é a massa de ar quente e seca que predomina sobre a região Centro-Oeste nesta época do ano – de maio a setembro.

"O sistema impede a formação de nebulosidade, bloqueia o avanço das frentes frias que vêm do sul do país e a desvia para o oceano", explica. "Como bloqueia a formação de nuvens, consequentemente impede a chegada da chuva".

 

"Sem cobertura de nuvens, aumenta-se a temperatura e isso declina umidade relativa do ar."

 

Nível dos reservatórios

Nesta terça-feira (10) – medição mais atualizada da Agência Reguladora de Águas (Adasa), o Descoberto operava com 83,4% do volume útil, mais do que o valor de referência para o mês: 55%. O de Santa Maria estava em 94,6%, bem acima da previsão de 75%.

 

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS