Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

BANDIDOS IMPORTADOS: Grupo é preso após se passar por Polícia Civil para praticar roubos na Grande Brasília

Quarteto usava coletes da corporação e foi detido quando planejava crime. Suspeitos se escondiam em alojamento sem-terra no Recanto das Emas.

"O grupo chegou a abordar a mulher do dono de uma peixaria que eles queriam roubar para saber a rotina do estabelecimento. Nós acreditamos que inúmeras outras vítimas tenham sido roubadas por eles" - Pablo Aguiar, delegado-chefe da 27ª DP


A Polícia Civil de Brasília apresentou nesta segunda-feira (28) quatro suspeitos de roubos a dois comércios e a quatro casas.

Segundo a corporação, dois dos envolvidos se passavam por policiais para abordar as vítimas e entrar nas residências e lojas.


A prisão aconteceu na última quinta-feira (24), quando o grupo se reunia em um bar e planejava um assalto a uma peixaria.

O delegado-chefe da 27ª DP, Pablo Aguiar, afirma que os suspeitos vieram de Goiás, Tocantins e Bahia e que estavam escondidos em um alojamento de sem-terra no Recanto das Emas, “o que dificultou as buscas”.


“O grupo chegou a abordar a esposa do dono de uma peixaria que eles queriam roubar para saber a rotina do estabelecimento. Nós acreditamos que inúmeras outras vítimas tenham sido roubadas por eles.”


Os suspeitos que se passavam por agentes da polícia abordavam as vítimas dizendo ter um mandado de apreensão. A polícia chegou até os suspeitos após analisar imagens de câmeras de segurança e colher depoimentos de testemunhas e vítimas.

Suspeitos de se passar por policiais civis para roubar casasa e comércios do DF (Foto: Alexandre Bastos/G1)
Suspeitos de se passar por policiais civis para roubar casas e comércios

O primeiro roubo a residência aconteceu em 8 de março, em Arniqueiras. Os suspeitos chegaram ao local vestidos com coletes da Polícia Civil e arrombaram o portão de uma casa. O grupo levou uma pistola calibre 380, munições e R$ 3 mil em dinheiro.


Os suspeitos usavam uma caminhonete e um carro de passeio para abordar os moradores. Um dos veículos usados pelo grupo, avaliado em R$ 29 mil, foi apreendido pela polícia.


No dia seguinte ao primeiro crime, o quarteto assaltou uma distribuidora de gás do Recanto das Emas. Um dos suspeitos assumiu o roubo e apontou a participação dos outros três.


Outro roubo a residência aconteceu na Ponte Alta. “Eles pararam o carro na frente da casa e pediram água. Depois perguntaram pelo dono da casa. Aí eu percebi que era ladrão e tranquei a janela. Eu corri para pedir ajuda aos vizinhos quando eles pularam o muro da casa e apontaram uma arma para mim dizendo que eram polícia. Eles atiraram em um cachorro e entraram em todos os quartos da casa, exceto no que eu estava escondida”, afirmou a empregada do imóvel, que não quis se identificar.


No dia da prisão, os suspeitos entraram em uma casa no Recanto das Emas, onde estavam uma criança de 8 anos e um adolescente de 13 anos. Eles levaram eletrodomésticos, roupas e joias.

  •  

O delegado-chefe da 27ª DP, no Recanto das Emas, Pablo Aguiar (Foto: Alexandre Bastos/G1)

O delegado-chefe da 27ª DP, no Recanto das Emas, Pablo Aguiar

Uma testemunha anotou a placa do carro e ligou para a Polícia Civil. O automóvel foi usado em dois furtos e um roubo em Samambaia, em dezembro último.

Os suspeitos foram autuados por associação criminosa e roubo. Três dos suspeitos detidos têm passagens pelas polícias da Bahia, de Goiás e de Tocantins. A corporação não soube informar quais foram os crimes praticados pelo grupo.

 

Fonte: *G1 - Clipping

COMENTÁRIOS