Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

ESTRATÉGIA: Novo contrato com empresa de limpeza urbana beneficiará sete localidades da Grande Brasília

Acordo prevê o uso de caminhões menores em locais de difícil acesso e a instalação de contêineres subterrâneos em áreas com problemas de acúmulo de lixo

Sete cidades-satélites do Distrito Federal ganharão melhorias no serviço de limpeza urbana.

 

Novo contrato do governo de Brasília com empresa especializada — que realizará a coleta convencional em Águas Claras, em Ceilândia, na Estrutural, no Park Way, no Riacho Fundo I, em Taguatinga e em Vicente Pires — prevê a utilização de caminhões menores para trabalhar em locais de difícil acesso e a instalação de contêineres subterrâneos em áreas com problemas de acúmulo de lixo.


O acordo é de R$ 76.579.881,20 e tem validade de 10 meses, renováveis pelo mesmo período. A Valor Ambiental foi escolhida por meio de pregão eletrônico, cujo resultado foi publicado no Diário Oficial do DF de 22 de abril.

 

 

O dinheiro é liberado à medida que a empresa cumpre as obrigações estabelecidas para cada mês. Atualmente, a mesma companhia atende as sete regiões administrativas contempladas na licitação por meio de contrato emergencial, com vencimento em junho.


A contratação também prevê a operação e a manutenção da Usina de Triagem e Compostagem de Ceilândia e a compostagem, no pátio dessa unidade, de parcela dos resíduos orgânicos processados na Usina de Triagem e Compostagem da Asa Sul.


Caminhões menores
Segundo o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), a previsão é que o novo acordo seja assinado no mês de maio, encerrando-se o contrato emergencial. O diretor-técnico do órgão, Paulo Celso dos Reis, explica que a medida trará mudanças que beneficiarão a população. “Algumas áreas, como o Sol Nascente, são de difícil acesso, por isso está previsto que a empresa utilize caminhões de menor proporção para fazer a coleta nesses locais”, explica.


Outra vantagem é a instalação de contêineres subterrâneos no Sol Nascente e no Pôr do Sol — em Ceilândia — e no setor de Santa Luzia, na Estrutural, prevista para ser efetivada entre junho e agosto. “A medida vai acabar com o problema do lixo acumulado nas ruas dessas regiões. Serão utilizados caminhões com guindastes para tirar os contêineres e esvaziá-los, quando necessário”, detalha Reis.


Histórico
O pregão eletrônico foi aberto em maio de 2015 e suspenso duas vezes por questionamentos do Tribunal de Contas do Distrito Federal. Para reabrir o processo, o SLU fez a correção desses entraves. Desde a interrupção da licitação, em junho de 2015, a limpeza pública nessas áreas funciona por contratos emergenciais firmados com a Valor Ambiental.

 

COMENTÁRIOS