compartilhar

CONTRA IMPEACHMENT: Manifestantes do MST bloqueiam trechos da BR-020 e BR-070

Pneus foram incendiados para bloquear trânsito nas pistas. Movimento faz ato em apoio à presidente Dilma Rousseff.

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) fecharam na madrugada desta terça-feira (10) duas rodovias que passam pelo Distrito Federal em apoio à presidente Dilma Rousseff.

 

As intervenções ocorrem nas BRs 020 (para Sobradinho/Planaltina) e 070 (para Águas Lindas/Pirenópolis) e causam lentidão para os motoristas que tentam chegar ao centro da cidade. Pneus foram incendiados.

Bloqueio feito por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) em trecho da BR-070 no Distrito Federal nesta terça-feira (10); grupo faz ato de apoio à presidente Dilma Rousseff (Foto: TV Globo/Reprodução)

Na BR-020, o ato ocorre no DVO, dentro da região administrativa de Planaltina. Faixas foram usadas pelos manifestantes com mensagens em alusão à “jornada de lutas pela democracia”.


A rodovia também é usada por quem sai de cidades do Entorno, como Formosa, e por moradores de cidades-satélites da zona norte da Grande Brasília. De acordo com o DNIT, 28 mil carros passam pela BR-020 todos os dias.


Na BR-070, o protesto acontece depois do posto da Polícia Rodoviária Federal e perto da divisa com Goiás. A interdição ocorreu em ambos os lados da rodovia. A fumaça prejudicou a visibilidade.


Motoristas tentavam retornar pelo canteiro central da BR-070. A via é usada por moradores de cidades-satélties como Brazlândia e Ceilândia para acessar o Plano Piloto. O congestionamento chegava a Águas Lindas (GO), passando por toda a barragem.


De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, os manifestantes afirmaram que os bloqueios seguem até as 9h. Equipes da corporação acompanham ambos os atos.


Atos contra o impeachment
Também há registro de protestos contra a saída da presidente Dilma Rousseff em São Paulo e no Rio Grande do Sul. O Senado vota nesta quarta-feira (11) a abertura ou não do processo de impeachment. Caso seja aprovado, a petista será afastada do cargo por 180 dias.

 

Fonte: *G1 - Clipping

COMENTÁRIOS