Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

CRISTIANO ARAÚJO VIRA RÉU: Denúncia contra o distrital por nepotismo foi acatada pelo TJDF

Ele contratou mulher do tio para trabalhar em seu gabinete por R$ 14,1 mil. Defesa do deputado nega irregularidade; denúncia foi feita pela TV Globo.


O deputado distrital Cristiano Araújo (PTB) virou réu em ação de improbidade administrativa por contratar a mulher do tio para trabalhar em seu gabinete.

 

A denúncia foi feita em 29 de setembro do ano passado pelo Ministério Público, após denúncia da TV Globo. O Tribunal de Justiça acatou a acusação nesta sexta-feira (13).

Cabe recurso.


Na época da denúncia, Araújo disse que contratou Ana Lúcia Pereira – com salário de R$ 14,1 mil – porque ela demonstrou competência ao trabalhar em sua campanha eleitoral.

Ele também afirmou que o Código Civil não considera mulher do tio como parente direto e que, por isso, não há nepotismo no caso. 


Ana Lúcia exercia a função de assessora e foi exonerada pouco depois. Ela também virou ré. Ao G1, a assessoria do distrital disse que ele está “tranquilo quanto a ação e que sabe que não agiu de má fé”. Também declarou que o parlamentar buscou ajustamento de conduta junto ao MP e que se manifestará quando for conveniente.


ANA AO LADO DE SEU MARIDO ARTUR NOGUEIRA, TIO DO DEPUTADO DISTRITAL


Ao Tribunal de Justiça, a defesa do deputado diz que a nomeação da mulher ocorreu dentro da legalidade.

Entre os argumentos está ele não ter participado da nomeação de Ana Lúcia, porque isso competia à presidência da Câmara Legislativa. Assim, diz, o parlamentar não poderia ser responsabilizado por um ato que não cometeu.


Os advogados também alegam que, à época, as regras sobre nepotismo na Câmara Legislativa permitiam o exercício de cônjuges de tio ou tia em gabinete de parentes e que as normas só mudaram no dia 17 de novembro de 2015, cerca de um mês e meio após a denúncia feita pela TV Globo. O TJ afirma, porém, ter elementos suficientes para dar prosseguimento à ação.


 

Fonte: *G1 - Clipping

COMENTÁRIOS