Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

AGEFIS: Casas em área de preservação são retiradas em Taguatinga

Mais de 20 edificações de alvenaria começam a ser removidas na QSC 19

Vinte e seis casas de alvenaria são alvo de desocupação na Quadra QSC 19, em Taguatinga. As edificações estão dentro de uma área de preservação ambiental, próximo às Chácaras 27 e 28.

 

A operação começou na manhã desta segunda-feira (23) e, em princípio, está programada para seguir até sexta-feira (27). Em virtude do feriado de Corpus Christi (no dia 26), porém, ela pode se estender.


De acordo com a Agência de Fiscalização (Agefis), a área tem cerca de 50 mil metros quadrados e está próximo a uma nascente, na Área de Relevante Interesse Ecológico JK.


Sem resistência por parte dos ocupantes, o primeiro dia de operação terminou por volta das 12h20, quando foram retiradas do local as duas pás mecânicas e o trator de esteira. Foram derrubadas hoje oito casas de alvenaria e um muro. Moradores de três residências apresentaram liminar para evitar a retirada das edificações e não foram afetados pela ação nesta manhã.


A Companhia Energética de Brasília (CEB) desfez dez ligações irregulares e a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) soterrou seis pontos de distribuição de água. Foram retirados cerca de 330 metros lineares de muros nos nove lotes afetados. Uma família requisitou o serviço de transporte dos pertences.


Durante a operação, a Polícia Militar suspeitou de um carro da marca Chevrolet modelo S10. De acordo com o 11º Batalhão de Polícia Militar de Samambaia, o veículo consta como roubado. O fato será investigado.


Cerca de 120 pessoas participaram da ação na manhã desta segunda-feira, que também contou com o Serviço de Limpeza Urbana; a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap); o Corpo de Bombeiros Militar; a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos; a Subchefia de Ordem Pública e Social, vinculada à Casa Militar, e o Conselho Tutelar de Taguatinga.

 

COMENTÁRIOS