Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

INVASÃO DO MRP: Torre Palace começa a ser desocupado pela Polícia Militar

Operação foi desencadeada após integrantes do MRP — que estão na estrutura do antigo hotel desde outubro — impedirem trabalho do governo nesta quarta (1º) para combater o Aedes aegypti

Operação integrada do GDF iniciou a retirada de pessoas da estrutura do antigo Hotel Torre Palace, no Setor Hoteleiro Norte, no Plano Piloto, nesta quarta-feira (1º).

 

Desde outubro, o prédio é ocupado por integrantes do Movimento de Resistência Popular (MRP) – dissidência do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto –, por pessoas que vivem nas ruas e por usuários e traficantes de drogas, segundo informam as forças de segurança locais.


Nesta manhã, acompanhados por policiais militares, 12 invasores deixaram o prédio e restam cerca de 15, entre eles, duas crianças.

A quantidade exata ainda não pode ser informada pela PM, porque a corporação não conseguiu ir a todos os andares.

A ação conjunta — denominada de Gerente — foi desencadeada depois que os ocupantes impediram o trabalho de agentes da Vigilância Ambiental de Saúde, da Secretaria de Saúde, e da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, subordinada à Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, para combater focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya, e a presença de ratos.


Durante a remoção, comandada por líderes do MRP, parte dos ocupantes recusou-se a sair e ateou fogo em pneus para dificultar o trabalho dos agentes públicos.

 

De acordo com o subsecretário de Integração de Operações e Segurança, da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, coronel da Polícia Militar Márcio Pereira, as forças foram acionadas logo após o impedimento.


Histórico

Desde outubro, o prédio abandonado também era utilizado como esconderijo e como ponto de prostituição. No fim daquele mês, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) expediu mandado de reintegração de posse para a desocupação do edifício.

Em novembro, no entanto, o tribunal suspendeu a determinação por falta de informações sobre a propriedade do antigo hotel, disputado por herdeiros.


Neste ano, em 26 de maio, o TJDF concedeu liminar favorável ao governo de Brasília para desocupação, limpeza e cercamento do prédio.  

A decisão do desembargador Sebastião Coelho, da 5ª Turma Cível da Corte, garante ao Estado o direito de tomar as providências necessárias para restabelecer a segurança da área. Os custos da operação serão cobrados dos proprietários do hotel.


O recurso foi apresentado pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF) e ajuizado devido à dificuldade de a Justiça localizar os responsáveis pelo antigo estabelecimento hoteleiro.

Cabia à Torre Incorporações e Empreendimento Imobiliário Ltda. responsabilizar-se pelas medidas de desocupação e limpeza do imóvel. No entanto, em duas tentativas de avisá-la das obrigações, nenhum representante da empresa foi encontrado.

 

COMENTÁRIOS