compartilhar

CONTINUA CONFUSÃO NO CENTRO: PM triplica raio de interdição e retoma negociação com invasores de hotel

Trecho isolado entre a Avenida W3 Norte e a Torre de TV foi de 50 para 150 metros. Operação de desocupação começou na quarta; grupo resiste e atira objetos.

A Polícia Militar ampliou de 50 para 150 metros o bloqueio montado nos arredores do Hotel Torre Palace – alvo de operação de reintegração de posse desde a manhã desta quarta-feira (1º) – depois de os invasores começarem a atirar objetos da cobertura do prédio.

 

A corporação estima a presença de 13 pessoas no local, incluindo três crianças. O grupo afirma que não vai deixar o espaço.


O bloqueio ocorre no Eixo Monumental entre a Avenida W3 Norte e a Torre de TV. Motoristas que seguem na via, sentido Palácio do Buriti, tem que passar por desvios para ruas alternativas ao lado da Torre.

 

Segundo a secretária de Segurança do GDF, Márcia de Alencar, o perímetro isolado é necessário para garantir o bem-estar da população que transita no local.


“Não podemos nos dar ao luxo de ter algum objeto arremessado em cima de pessoas ou veículos que passam por ali. Se uma pedra de concreto for lançada, a força adquirida na queda é muito maior”, afirma.


A secretária informou ainda que há 400 servidores públicos, entre policiais, bombeiros e assistentes sociais, envolvidos na operação “Não podemos continuar comprometendo esse número de efetivo. Essas pessoas estão prestando um serviço voluntário gratificado, o que é muito caro para o governo.”


Até que o prédio seja totalmente desocupado, Márcia afirmou que o edifício seguirá isolado e as vias interditadas. Não há previsão para o fim da reintegração de posse. A expectativa da Secretaria de Segurança é que ela termine ainda na manhã desta quinta-feira.

Policiais negociam desocupação no Hotel Torre Palace, em Brasília (Foto: Pedro Borges/G1)

Policiais negociam desocupação no Hotel Torre Palace


Mais de 24 horas de negociação
Por volta das 22h30 de quarta, deputados federais do PT, representantes do GDF e da Polícia Militar ainda se reuniam com os invasores na área interna do hotel, em uma tentativa de acordo.

Eles disseram que só deixariam o local quando o governo oferecesse uma opção permanente de moradia.


Pelo menos quatro pessoas foram detidas por xingarem PMs, desobedecerem a ordem de deixar o prédio e tentar invadir o perímetro de isolamento nesta quarta.

No fim da tarde do primeiro dia da operação, bombas de fabricação caseira foram lançadas de cima do prédio em direção aos militares. Os artefatos, conhecidos como "cabeção", estouraram perto dos carros do Corpo de Bombeiros e da PM. Ninguém ficou ferido.


Os ocupantes do hotel querem prorrogação da assistência habitacional do GDF, de R$ 600, oferecida por até um ano. O Executivo diz não haver possibilidade de estender o benefício. No prédio, fechado há anos e depredado, vivem famílias com crianças. O local também é conhecido como "hotel do crack" devido à presença de viciados em drogas.


Devido à operação da polícia, era possível ver integrantes do MRP carregando pneus e botijões de gás até a cobertura do prédio na tarde desta quarta. Um grupo de manifestantes chegou a queimar objetos em um dos andares do edifício.

Invasores de hotel abandonado no centro de Brasília colocaram pneus, botijões de gás e colchões nos andares mais altos do prédio (Foto: Gabriel Luiz/G1)
Invasores de hotel abandonado no centro de Brasília colocaram pneus, botijões de gás e colchões nos andares mais altos do prédio

"Se subirem, a gente vai estar preparado, com colchão, pneu, o que for preciso", afirmou a líder do movimento, Ylka Carvalho. "Não vamos sair porque não deram outro lugar para a gente ficar."


A Secretaria de Segurança Pública informou que existe uma autorização de segunda instância do Tribunal de Justiça do DF prevendo intervenção das equipes do GDF em ações de saúde pública e segurança.

De acordo com a Polícia Militar, após a desocupação, os donos do hotel serão orientados para reforçar a segurança do prédio para evitar que seja invadido novamente.


Funcionários de um hotel vizinho ao Torre Palace disseram que a ocupação constrangia os hóspedes. "Muitos pediam para trocar de quarto para não ficar de frente para isso. Já perdemos muitas empresas, muitos eventos por causa da ocupação", disse um empregado.


Outro relatou ao G1 que já teve a roda do carro furtada e o vidro quebrado por invasores. "Como ali funciona um ponto de venda de drogas, assusta muito."


Morte, drogas e furtos 
O corpo de um homem de cerca de 20 anos foi encontrado na madrugada de 12 de março em frente ao Torre Palace. A namorada do rapaz, de 17 anos, disse à polícia que eles estavam no sétimo andar do prédio para usar drogas, mas, depois de uma discussão, o deixou sozinho em um quarto no sétimo andar. Depois, ela disse não tê-lo visto mais.

Congresso Nacional visto de hotel abandonado no centro de Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo))
Congresso Nacional visto de hotel abandonado no centro de Brasília

Vizinhos ao estabelecimento reclamam que o índice de crimes aumentou na região após a instalação de 200 pessoas no local. Equipes da Polícia Militar foram deslocadas para a área para reforçar a segurança.

O imóvel é avaliado em R$ 35 milhões e fica próximo a alguns dos principais cartões postais de Brasília, como a Torre de TV e o Estádio Mané Garrincha, e vista para a Esplanada dos Ministérios, o Congresso Nacional e a Catedral de Brasília.

Cama em quarto de hotel abandonado em Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)
Cama em quarto de hotel abandonado em Brasília

Com 14 andares e 140 apartamentos, o hotel foi abandonado em 2013, após disputa entre herdeiros do fundador do hotel, o empresário libanês Jibran El-Hadj, morto em 2000.

O Tribunal Regional do Trabalho chegou a definir 28 de março como data para leilão do hotel. Os proprietários deviam R$ 120 mil em multas por descumprimento de acordo com o Ministério Público do Trabalho, após constatada dívida com os funcionários. O certame foi suspenso.

Torre de TV e Parque da Cidade vistos de hotel abandonado em Brasília (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)
Torre de TV e Parque da Cidade vistos de hotel abandonado 

 

Fonte: *G1 - Clipping

COMENTÁRIOS