Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

CENTRAL DE POLÍCIA: Trotes no Ciade são 10 por cento das ligações recebidas para PM e Bombeiros

Central de segurança pública é alvo de brincadeiras que tomam tempo e dinheiro que poderiam estar sendo utilizados para salvar vidas

Somente neste ano, a Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade) já registrou 30.580 ligações, de um total de 332.557, como trote.

 

Isso significa que 9,1% das chamadas recebidas na central de segurança pública do Distrito Federal são brincadeiras que tomam tempo e dinheiro que poderiam estar sendo utilizados para salvar vidas.

 

A Ciade atende as ligações de emergência feitas para os números 190 (PM), 193 (Bombeiros), 199 (Defesa Civil), 911 e 112 (números da emergência dos EUA e Europa, respectivamente).

 

A tentativa de simular uma ocorrência, brincadeiras e xingamentos são considerados trotes.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, a maior parte delas não são repassadas para as equipes de rua, pois os atendentes classificam as ligações por meio de um recurso próprio do sistema, mas os trotes que chegam as equipes de emergência geram prejuízo financeiro, com desgaste de viatura, combustível e médicos deslocados para o atendimento.

 

A SSP ressalta que o maior prejuízo é o de “comprometer o atendimento à comunidade, pois os trotes ocupam desde a linha telefônica até a equipe operacional, o que pode prejudicar ou atrasar um atendimento realmente urgente”.


O Código Penal Brasileiro prevê punição para quem passa trote em dois artigos.

 

O 235 condena atentados contra a segurança ou o funcionamento de serviços de utilidade pública, com pena de reclusão de um a cinco anos além de multa.

 

Já o 340 pune comunicação falsa de crime ou contravenção, com pena de um a seis meses ou multa, mas não se aplica nos casos em que não há o comunicado de uma infração penal.

Tecnologia – A Secretaria está desenvolvendo uma ferramenta para implantar no sistema de gestão de ocorrência (SGO 2.0) e aliar a tecnologia no combate aos trotes, otimizando a chegada das equipes ao local de atendimento. O sistema irá, por meio de georreferenciamento, precisar a localização do número que está realizando a chamada, permitindo ao atendente confrontar o local da ligação com o endereço passado pelo autor da ocorrência, além de identificá-lo.(*Por:Danilo Queiroz)

 

Fonte: *Alô - Clipping

COMENTÁRIOS