Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

CARTEIRA DE TRABALHO: Emissão digital do documento eleva espera para até 60 dias

Tecnologia implantada deveria agilizar o processo, mas efeito foi contrário. Antes, documento era feito à mão; GDF promete resolver até fim de julho.

Implantado como um "programa-piloto" para agilizar a emissão das carteiras de trabalho, o sistema digital oferecido pelo Ministério do Trabalho ao Distrito Federal vem surtindo efeito contrário.

 

Desde que a mudança foi concluída, em março, o prazo de espera pelo documento cresceu.

Em alguns casos, o trabalhador espera até 60 dias para retirar a carteira.


O documento é emitido nos postos do "Na Hora", nas Agências do Trabalhador e nas Superintendências do Trabalho.

Segundo a Secretaria de Trabalho, o problema está no sistema criado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, mas deve ser resolvido até o fim do mês.


A vendedora Camila Magalhães conseguiu um emprego, mas ainda não tem a carteira. “Falaram que precisava agendar no site, aí eu fui ao Na Hora no dia seguinte e o agendamento que eu ia conseguir seria só para o mês seguinte. O que era para facilitar não facilita", diz.


A estudante Vanessa Magalhães é estagiária em um escritório de arquitetura e vai ser contratada, mas também não tem o documento. Ela tentou agendar para um posto perto de casa, mas só há vagas para agosto. “Quando eu entro para fazer o agendamento só tem duas opções, Gama ou Taguatinga.”


Antes da digitalização, as carteiras eram pré-fabricadas. Em vários postos, como no Na Hora, o preenchimento da carteira de trabalho era feito à mão. O subsecretário de Atendimento ao Trabalhador e ao Empregador, Gerson Vicente de Paula, afirma que até o final do mês os problemas vão ser resolvidos.


“O Ministério do Trabalho nos informou que até o final de julho, no dia 30, o sistema vai estar 100% em operação, sem nenhuma instabilidade. A partir daí, a gente pode aumentar o número de agendamentos por dia para dar maior vazão às emissões de carteira.”

Na unidade do Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto, quem não está agendado apenas consegue emitir a identidade se houver desistência de algum agendado. A direção do "Na Hora" disse que a prioridade é atender quem agendou a emissão do documento. A primeira emissão da identidade é gratuita, mas a segunda via custa R$ 42.


Segundo a Secretaria do Trabalho, a pasta pretende realizar um mutirão de emissão de carteiras de trabalho assim que o sistema estiver funcionando plenamente. A pasta afirma que o agendamento pode ser feito pelo telefone 156, na opção 9.

 

Fonte: *Via G1 - Clipping

COMENTÁRIOS