compartilhar

SURTO DE CAXUMBA: Grande Brasília tem 95 novos casos da doença em uma semana, diz boletim da Secretaria de Saúde

Número de ocorrências passou de 865 para 960 em sete dias, diz relatório. Foram notificados 28 surtos da doença em oito localidades do Distrito Federal desde janeiro.

Levantamento da Secretaria de Saúde divulgado nesta quinta-feira (14) aponta 95 novos casos de caxumba em uma semana no Distrito Federal.

 

Os dados correspondem ao período entre 2 e 9 de julho.

 

No período, o número de notificações da doença cresceu 10,9%, passando de de 865 para 960. A doença afeta 928 moradores da capital do país. O restante dos atendimentos corresponde a pacientes do Entorno.

 

Desde o início do ano, foram registrados 28 surtos de caxumba em oito localidades da Grande Brasília. Eles foram notados em Ceilândia, Asa Sul, Lago Sul, Núcleo Bandeirante, Samambaia, São Sebastião, Sobradinho e Taguatinga. Ao todo, 18 ocorreram em escolas, quatro em residências, dois em unidades penitenciárias e quatro em outros locais.


A maioria das pessoas contaminadas é do sexo masculino (571).

O governo diz que o número elevado de ocorrências em homens pode ser explicado por conta do surto na Penitenciária da Papuda, entre fevereiro e maio deste ano.

De acordo com o boletim, 49,6% dos infectados tem de 20 a 49 anos.


Segundo o boletim de saúde, 171 pacientes tinham sido vacinados contra caxumba. A maioria (67,3%) havia tomado duas doses da vacina.

Quem quiser se vacinar deve procurar um centro de saúde no DF de 8h às 17h, levando um documento de identificação. A primeira dose da vacina é aplicada quando a criança completa um ano. A segunda, três meses depois.


Os adolescentes até 19 anos devem tomar duas doses da vacina. Para pessoas entre 20 e 49 é necessária apenas uma dose. A vacina está disponível ao longo de todo o ano em todos os centros de saúde do Plano Piloto e cidades-satélites.


A Vigilância Epidemiológica informou que está acompanhando todos as ocorrências suspeitas. Em caso de surto, é necessário o isolamento dos pacientes, de 10 a 15 dias após o início dos sintomas.

Para evitar o contágio, devem ser adotadas medidas de higiene, como não compartilhar copos e talheres, manter os ambientes ventilados, ter alimentação balanceada e uma boa hidratação.


Sintomas da caxumba
Febre, calafrios, dores de cabeça, musculares – ao mastigar ou engolir – e fraqueza são os sintomas mais comuns da caxumba. A doença também é caracterizada pelo aumento de glândulas salivares, que fazem o rosto inchar.


A incubação do vírus (período de contaminação até aparecer os primeiros sintomas) pode variar de 12 a 25 dias. Em média, aparece por volta dos 16 a 18 dias.



Transmissão
A caxumba é transmitida por meio de gotículas de saliva de pessoas infectadas. Como não existe tratamento específico para a doença, a melhor forma de combate é a vacinação ainda quando criança. A doença tem maior circulação no período de temperaturas mais baixas, como na primavera e inverno.

Na maioria das vezes a caxumba produz sintomas como febre, calafrios, dores de cabeça (ao mastigar ou engolir) e fraqueza. Uma das principais características da doença é o inchaço no pescoço e rosto.

 

Fonte: *Via G1 - Clipping

COMENTÁRIOS