compartilhar

CORRERIA DE NATAL: Últimos dias e consumidores se apressam para garantir os presentes

Comerciantes comemoram faturamento alto neste fim de ano. O mês de dezembro teve um movimento médio de 600 mil pessoas aos finais de semana nas lojas e comércios da cidade

Há quatro dias do natal, o comércio da cidade está movimentado - fato que tem deixado os lojistas mais otimistas, mesmo em época de crise.

 

O Sindvarejista (Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal), calcula que mais de 800 mil consumidores estão correndo para garantir os presentes de fim de ano.   


Ainda segundo o sindicato, o mês de dezembro teve um movimento médio de 600 mil pessoas aos finais de semana nas lojas e comércios da cidade.

 

Mas, como de costume, a maioria das pessoas deixou para fazer as compras na última hora e, com isso, o número estimado foi ainda maior: 800 mil pessoas.


O presidente do sindivarejista , Edson de Castro, disse que o pagamento da última parcela do 13º motivou ainda mais o aumento no movimento.

Com isso, mesmo em crise, a expectativa é que o comércio consiga um crescimento de 2% nas vendas, comparado com o mesmo período do ano passado.


Durante o ano, em épocas normais, o movimento nas mais de 30 mil lojas de ruas e shoppings fica na casa de 120 mil pessoas. Por isso, quem deixou para a última hora, teve que ter paciência. Os estacionamentos ficaram lotados, as filas nos caixas enormes e os corredores dos shoppings apertadinhos.


Outra motivação para a boa expectativa de vendas nesse fim de semana é a renda do brasiliense.

 

Trata-se da maior renda per capita do país e também o maior valor médio do 13º: R$ 3.587. O sindicato estima que o 13º salário colocará na economia da Grande Brasília R$ 6,4 bilhões contra R$ 5,8 bi do natal passando.


Uma pesquisa realizada pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) mostra que os cartões de crédito devem responder por 90% do faturamento do comércio no fim de ano, já que muita gente que compra quer mais prazo para pagar.

 

O gasto médio com presentes deve ser um pouquinho mais em conta, de R$ 150 contra R$ 180 no natal de 2014. Além disso, 60% dos consumidores vão optar por presentear comprando roupas, calçados e perfumes.

 

Fonte: *R7 - Clipping

COMENTÁRIOS