compartilhar

AINDA O AEDES: Quase 20 mil moradores da Grande Brasília tem suspeita de dengue desde janeiro

Brazlândia segue como a cidade-satélite com a maior quantidade de infectados

O Distrito Federal registrou desde janeiro 19.275 casos prováveis de dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

 

De acordo com o Informativo Epidemiológico nº 32, divulgado pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (10), 17.097 pacientes residem aqui e 2.178 são de outras unidades da Federação.

 

Em relação aos casos de contaminação na Grande Brasília, 57% deles estão concentrados em três cidades-satélites: Brazlândia (1.936 infectados); Ceilândia (1.867) e São Sebastião (1.731).


Entre os doentes que residem fora do Distrito Federal e receberam o diagnóstico na rede pública local, a maioria vem de Goiás.

 

O município de Águas Lindas de Goiás, por exemplo, corresponde a 48,12% dos casos, com 1.048 pacientes.

Em seguida, aparecem Luziânia, com 300 infectados; Padre Bernardo, com 185; e Cidade Ocidental, com 176.


No período pesquisado, foram registradas 29 ocorrências graves da dengue. Destas, 14 evoluíram para morte.


Casos de chikungunya e zika em Brasília

O levantamento mostra também que, desde a primeira semana de janeiro, 917 pessoas apresentaram suspeita de febre chikungunya.

A maioria delas — 782 — reside em Brasília, e 135 são de outras unidades federativas. As cidades-satélites com maior incidência da doença foram Ceilândia (19 casos), Taguatinga (16), Samambaia (14), Gama (12), além do Plano Piloto (9, na Asa Norte).


Em relação ao zika vírus, Brasília registrou, desde janeiro, 924 suspeitas. Destas, 195 foram confirmadas. Em gestantes, são 38 incidências: 25 do Distrito Federal e 13 de outras unidades da Federação. De acordo com o boletim da Saúde, 18 tiveram bebês — 16 nasceram sem intercorrências e dois morreram.

Acesse a íntegra do Informativo Epidemiológico de Dengue, Chikungunya e Zika nº 32.


 

 

COMENTÁRIOS