compartilhar

UM DIZ UMA COISA, OUTRO DIZ OUTRA: Crise entre Planalto e Buriti; nota de RR é considerada por Temer como “desleal”

O fato foi divulgado no final de semana, sobre o encontro entre Rollemberg e Temer na 6a.feira, para tratar da Polícia Civil

A assessoria de imprensa do governador Rodrigo Rollemberg divulgou, na tarde de hoje, uma nota oficial dizendo que o presidente Michel Temer “se comprometeu a estudar alternativas” para resolver a greve da Polícia Civil.


A nota, segundo a jornalista Denise Rothenburg, do Blog da Denise, abriu  uma crise entre o Palácio do Buriti e o Palácio do Planalto. O presidente Michel Temer, que soube da nota por intermédio de um telefonema do assessor especial Tadeu Filippelli, classificou a declaração do GDF como “desleal”.


Em nenhum momento, segundo Filippelli, Temer se comprometeu a estudar alternativas, uma vez que a busca da solução para o impasse cabe ao governo local.


Filippelli relatou que Temer recebeu Rollemberg no início da tarde desta sexta-feira, extra agenda, a pedido do governador. Ele ouviu o relato de Rollemberg sobre as reivindicações dos policiais em greve, entendeu o problema, mas, de acordo com Filippelli, teria sido muito claro ao dizer que Rollemberg buscasse a solução.


Segundo o Blog da Denise, a praxe nesses casos, é o governo local, após entendimento com os setores interessados, enviar uma minuta de mensagem ao governo federal, que, aí sim, passa a discutir o assunto e, se for o caso, encaminhar ao Congresso Nacional para apreciação. Não foi isso que terminou relatado na nota oficial do GDF.


O que mais irritou Temer foi o fato de o governador jogar o problema no colo do governo federal, especialmente, na última frase.

Temer vai apenas esperar o que vier de solução, a ser negociada entre o GDF e os policiais. Uma crise com o governo federal era tudo o que Rollemberg não precisava nesse momento, escreve Denise Rothenburg.

Nota oficial: Governo de Brasília, reajuste da Polícia Civil

governo de brasilia

O governador Rodrigo Rollemberg esteve reunido nesta sexta-feira (12) com o presidente da República em exercício, Michel Temer, para manifestar a preocupação em relação a reivindicação da Polícia Civil de isonomia com a Polícia Federal. O objetivo foi buscar soluções conjuntas.


Embora reconheça a legitimidade do pleito, o governador reiterou que o governo de Brasília não tem capacidade de arcar com esses valores sem a ajuda do Governo Federal. Além disso, há a preocupação com as outras forças de segurança, como a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiro, que também desejam equiparação salarial com a Polícia Civil.


O presidente Michel Temer se comprometeu a estudar alternativas.

 

Fonte: (*Por:Ricardo Callado)

COMENTÁRIOS