Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

CASA DE WALMIR AMARAL: GDF faz ação de derrubada na mansão do ex-senador e empresário de ônibus

Terreno tem 18,9 mil metros quadrados construídos em área pública. Determinação para 'desobstruir' terreno vem da Justiça, diz governo.

A Agefis iniciou nesta segunda-feira (22) a operação de derrubada de cercas e muros que circulam a casa do ex-senador do Distrito Federal Valmir Maral, no Lago Sul. A propriedade tem 18,9 mil metros quadrados em área pública, informou o governo. O G1 não conseguiu contato com Amaral.


De acordo com o GDF, a ação cumpre uma decisão judicial de 2010 específica para o lote do ex-senador. A iniciativa não tem a ver com a operação iniciada em 2015 que também derruba cercas e muros na região, mas mantém a mesma regra: são proibidas instalações a 30 metros da orla do lago.

Funcionário da Novacap remove grade que circunda casa do ex-senador Valmir Amaral (Foto: Agefis/Divulgação)

Segundo a adminsitração regional do Lago Sul, a expectativa é de que seja fechada uma parceria para que escolas possam usar o espaço.

Em fevereiro deste ano, o Tribunal de Justiça manteve a condenação por danos ambientais ao pai de Valmir, o empresário de transporte Dalmo Josué do Amaral, e à mulher dele, Ana Amância do Amaral. A Corte decidiu que eles devem pagar R$ 1 milhão para reparar danos em área pública na orla Lago Paranoá. Como Dalmo morreu, os herdeiros dele (incluindo Valmir) passaram a responder pela condenação.

O empresário e ex-senador Valmir Amaral

A denúncia foi feita pelo Ministério Público em 2004. Segundo o órgão, a família causou danos na QL 8 do Lago Sul. Incluindo a área "invadida", a residência tem de 19,8 mil metros quadrados. Eles construíram garagens, guaritas, heliponto, salão de festas, quadra de tênis, capela, viveiros, quadras, campo de futebol, sauna, banheiro e três decks, diz o MP.


Em março, a Justiça decretou a falência do grupo Amaral, que durante quase 40 anos explorou o serviço de transporte público na capital. A Vara de Falências tomou a decisão por entender que estava confirmado o “estado de insolvência das empresas”. O imóvel chegou a ser anunciado para leilão.

Valmir Amaral se tornou senador em junho de 2000, quando Luiz Estevão (PMDB) foi o primeiro senador a ter o mandato cassado, por quebra de decoro parlamentar. O suplente ficou no Senado até janeiro de 2007. O pai de Valmir, ex-presidente do Grupo Amaral, morreu em setembro de 2014 de causas naturais.

Terreno onde vive o ex-senador Valmir Amaral após ação de derrubada

Terreno onde vive o ex-senador Valmir Amaral após ação de derrubada (Foto: Agefis/Divulgação)

 

Fonte: *Via G1 - Clipping

COMENTÁRIOS