compartilhar

AEDES AEGYPTI: Dengue tem 51 novos casos na Grande Brasília em uma semana; total vai a 19,3 mil

Registro de casos da doença cresceu 87,85%, na comparação com 2015. Brazlândia ainda é a região mais afetada pelo vírus, com 1.938 infectados.

Mosquito é transmissor do vírus da zika, Dengue e Chikungunya


A Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulgou nesta quarta-feira (24)boletim epidemiológico que indica 19.375 casos de dengue até a última segunda (22).

 

Desde o último boletim, 51 novos casos foram confirmados. Quando comparado ao mesmo período de 2015, o Distrito Federal teve um aumento de 87,85% de casos prováveis da doença.


A lista de localidades mais afetadas por casos de dengue continua liderada por Brazlândia, que registrou 1.938 casos. Em seguida, aparecem Ceilândia (1.876), São Sebastião (1.733), Taguatinga (1.434), Planaltina (1.391) e Samambaia (1.378). Somadas, essas cidades-satélites somam 57% do total de casos doDistrito Federal. 


A pasta afirma que, desde o início de 2016, 36 casos da doença foram considerados como graves e provocaram a morte de 19 pessoas – não houve novas mortes desde o último boletim da secretaria, disponibilizado no dia 15 de agosto.


O levantamento realizado pelo órgão também informa os números referentes aos casos da febre chikungunya e do vírus zila — ambos transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue.


No Distrito Federal, foram registrados 137 casos da febre em moradores do DF desde o início do ano. As cinco regiões mais afetadas são Ceilândia (19 casos), Taguatinga (16), Samambaia (14), Gama (13) e Plano Piloto (11).

Já o vírus zika infectou 172 pessoas na Grande Brasília desde janeiro de 2016. Taguatinga é a região com maior número de ocorrências, com 31 casos, seguida pelo Plano Piloto (22), pelo Lago Norte(11), por Águas Claras (10) e pelo Guará (10).

 

Sintomas

Mosquito é transmissor da Zica, Dengue e Chikungunya (Foto: Divulgação/ Uenf)

A febre chikungunya é uma doença viral com sintomas parecidos com a dengue e transmitida pelos mesmos mosquitos, os Aedes aegypti e o albopictus. Entre eles estão dores fortes, principalmente, nas articulações, de cabeça e musculares, manchas vermelhas na pele e febre repentina e intensa, acima de 39 °C.


A recomendação em ambos os casos é de repouso absoluto e ingestão de líquidos em abundância. A automedicação é perigosa, porque pode mascarar sintomas, dificultar o diagnóstico e agravar o quadro da doença.


O melhor método de prevenção está no combate à proliferação dos mosquitos transmissores. As recomendações são as mesmas já conhecidas para o combate à dengue: evitar água parada em baldes, vasos de plantas, ralos e outros recipientes.


Em relação aos casos de zika, Brasília registrou, desde janeiro deste ano, 194 casos confirmados. Desses, 34 foram em gestantes. A doença é caracterizada por manchas, mesmo com ausência de febre.


"Podem vir aquelas manchas vermelhas pelo corpo e olhos vermelhos mesmo sem ter febre. O problema é que, apesar da pouca mortalidade, se a pessoa contrair durante o período que está grávida pode dar problemas na criança", diz a médica infectologista Rita Uchoa.

 

COMENTÁRIOS