compartilhar

PLEITO NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: Candidatos à reitoria da UnB realizam último debate antes da votação

Atenção aos servidores e convivência partidária na universidade estiveram entre os temas discutidos. Consulta acadêmica será realizada na terça-feira (30/8) e na quarta-feira (31/8)

ABAIXO, AS FOTOS DOS MEMBROS DAS CHAPAS

 

Os três candidatos à reitoria da Universidade de Brasília (UnB) realizaram, nesta sexta-feira (26/8), o quinto e último debate antes da votação que ocorre nos dias 30 e 31. 

 

As três chapas participantes puderam trocar questionamentos entre si e responder a perguntas de estudantes, professores e servidores da instituição. O evento ocorreu no auditório da Associação de Docentes da UnB (ADUnB), no campus Darcy Ribeiro, Plano Piloto.

debates reitoria

 

 

Em um primeiro momento, houve uma disputa maior entre o atual reitor, Ivan Camargo, e a candidata Márcia Abrahão.

 

Segundo o professor de engenharia elétrica, a gestão apresentou ganhos consideráveis em relação a períodos anteriores.

 

 

“A UnB de 2016 é muito melhor que a universidade de 2012. Em compensação, a UnB de 2012 era muito pior que em 2007”, afirmou criticando a gestão anterior, na qual Márcia Abrahão era decana de ensino de graduação.

 

Em resposta, a professora e diretora do Instituto de Geociências acusou Camargo de se vangloriar de resultados positivos conquistados em gestões anteriores. “As melhorias são contínuas. As boas notas de hoje refletem avaliações dos últimos anos, incluindo antes de 2012”. Ela ainda aproveitou para questionar o não cumprimento de metas estabelecidas na última campanha, como a flexibilização de horários para os técnicos da universidade.

 

 

ServidoresMichael Melo/Metrópoles
Um ponto frequente no debate foi também a valorização de servidores técnicos e administrativos. Segundo Márcia, não houve melhorias significativas para a categoria no passado recente. Ela prometeu implementar flexibilização de horários e incentivos à capacitação dos servidores. “Temos diversas promessas feitas pelo professor Ivan presentes na cartilha entregue na última eleição e que não foram cumpridas”.


Em sua defesa, Camargo afirmou que ampliou cursos de capacitação para servidores durante seu mandato. Mas parte da plateia o vaiou no momento. Ainda assim, ele seguiu elencando conquistas para a categoria. “Temos quatro cursos para servidores e ampliaremos esse número. Além disso, implementaremos a flexibilização para que a universidade funcione das 7h às 23h”.


O apoio aos trabalhadores da Universidade foi reforçado pela candidata Denise Bontempo. “É preciso valorizar os servidores, trará-los de forma mais humana e incluí-los na gestão da UnB”, afirmou.


Partidos
Uma das perguntas da plateia foi em relação à participação política e partidária na UnB. Nesse ponto, os candidatos demonstraram unanimidade e afirmaram que há espaço para o diálogo entre todas as correntes. “O reitor faz política a todo momento. Mesmo sem um partido específico. Quanto ao espaço universitário, é preciso respeitar todos os pontos de vista”, afirmou Camargo.


 

Vale lembrar que a consulta acadêmica, marcada para os dias 30 e 31, contará com a participação de estudantes, servidores e professores da instituição. A eleição serve para indicar quem é o candidato preferido da comunidade universitária, mas a decisão sobre quem vai ocupar o cargo cabe ao presidente da República. Por tradição, o nome mais votado acaba sendo o escolhido. O mandato de reitor da UnB dura quatro anos.

UnB Agência/ Reprodução

Chapa 93 | Denise Bomtempo e José Manoel Sánchez – UnB: Diálogo e Ação


UnB Agência/ Reprodução

Chapa 94 | Márcia Abrahão e Enrique Huelva – UnB: Diálogo para Avançar

 

 

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Chapa 95 | Ivan Camargo e Sônia Báo – Somos todos UnB



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

Fonte: *Via Metropole - Clipping

COMENTÁRIOS