compartilhar

CAIXA BAIXO: GDF já não tem os recursos para pagar os reajustes do ano

Faltando quatro meses para o fim do ano, o governo do Distrito Federal tem déficit de R$ 1 bilhão em despesas.

O valor em falta compõe os R$ 1,5 bilhões de rejuste às 32 categorias do serviço público previstas para pagamento em outubro.


O governo alega que devido à crise, não há como conceder reajustes novos, entre eles o da Polícia Civil. Ontem, o GDF apresentou a ao Sindicato dos Policiais Civil (Sinpol-DF) uma nova proposta.

 

Seriam pagos 7% de ajuste a partir de janeiro de 2018, 8% em 2019, 9% em 2020 e 10% em 2021. Somados, são 33% de aumento. O Sinpol-DF vai levar a proposta em assembleia na tarde de hoje, com indicativo de recusa. Eles pedem reajuste de 37%, equivalente ao da Polícia Federal, que ainda aguarda aprovação do governo federal.


Segundo o chefe da Casa Civil, Sergio Sampaio, a proposta é equivalente a 37% se somados os índices de inflação. Conforme o GDF, a proposta apresentada já acrescentaria até R$ 545 milhões nas despesas em 2021. "Estamos no limite", afirmou.


Sampaio diz que, sem o aumento da arrecadação até o final do ano, servidores do DF ou prestadores de serviço podem ter seus pagamentos atrasados. Servidores da saúde já possuem atrasos.

Entre as medidas previstas estão o recebimento de dívidas por meio do Refis, emendas parlamentares, venda imóveis e negociação de dívidas com a União.

 

COMENTÁRIOS