compartilhar

RACIONAMENTO II: Adasa revê autorização de carros-pipa e limita água em postos de gasolina

Irrigação de jardins e uso do recurso para limpar para-brisas estão proibidos. Medida é para combater crise hídrica; reservatórios estão com níveis baixos.

Frente à possibilidade de crise hídrica, a Adasa (Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal) decidiu proibir a irrigação de jardins de postos de combustível e o uso de água nas limpezas de para-brisas feitas por frentistas.

Resultado de imagem para lava jato posto de gasolina

As novas regras valem a partir desta quarta-feira (21) e foram anunciadas após reunião entre representantes dos estabelecimentos e técnicos da instituição.

 

Pelas medições, a Barragem do Descoberto chegou a 38,14% da capacidade nesta terça e está em estado de alerta. O reservatório de Santa Maria atingiu 49,19% e está em nível de atenção.

 

Juntos, eles atendem 85% de Brasília.Os postos também terão que trocar maquinário. Atualmente, cada um dos 320 estabelecimento gasta em média mil litros de água por hora, número considerado alto pela Adasa. A agência informou ainda que vai revisar as autorizações de motoristas de caminhões-pipa para a retirada do recurso em córregos que já tenham níveis baixos.


“Em todos os postos da Grande Brasília está proibida a irrigação de qualquer tipo de paisagismo”, disse o presidente do Sindicombustíveis, Daniel Costa.

Resultado de imagem para lava jato posto de gasolina

“Estão proibidos também pontos de água dentro da ilha de abastecimento. ou seja, quem vai aí abastecer seu veículo e quer limpar o para-brisas tem que se utilizar o meio ecológico, com produtos químicos e pano. Não pode usar a água em si, para evitar o desperdício deste produto escasso.”


O alerta segue mesmo após a chuva que caiu nesta terça em vários pontos da cidade. Também para evitar o desperdício, uma igreja da Asa Sul decidiu fazer uso racional da água e passou a contar com um poço artesiano.

O recurso captado fica em um reservatório de 20 mil litros e serve, por exemplo, para limpar as vidraças.


“A catedral das Assembleias de Deus tem, desde 2008, a autorização da Adasa para ter poço artesiano pra utilização dessa água, que não e potável, para irrigar os seus jardins e para as outras finalidades que não seja para uso humano”, contou o secretário da instituição, Wesley de Souza Oliveira.


Em um condomínio no Guará II, a economia começou pelo banheiro: a administração reduziu pela metade o volume de água das descartas. A pressão da água nas torneiras também ficou menor. “Pela medicação, a gente conseguiu economizar 10%”, conta o síndico, Alex Souza.

“O papel do morador é o principal nessa função de economizar. Se ele puder tomar banhos mais curtos, quando for fazer lavagem de roupa procurar sempre máquina cheia, evitar lavar aos poucos, isso vai e faz uma grande diferença”, completou Souza.


RacionamentoResultado de imagem para frases sobre economia de água
Para evitar escassez em maior proporção, a Caesb já interrompeu sete vezes, em dias consecutivos, o fornecimento de água de forma programada em algumas regiões administrativas. Para esta quarta-feira (21), os cortes previstos são em São Sebastião, Jardim Botânico, Planaltina e Sobradinho (CLIQUE AQUI).


Na última sexta, a Adasa informou que o volume de água seria suficiente para garantir o abastecimento por 73 dias caso não chovesse. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê pancadas de chuva até a próxima segunda (26). Segundo o governo, é preciso que chova por um período maior para que os reservatórios sejam recompostos.


A Adasa anunciou ainda que estuda cobrar tarifa extra como forma de reduzir o consumo. A recomendação é que moradores que façam o uso racional da água, principalmente após o retorno do abastecimento, para ajudar na recuperação do sistema. Todas as unidades devem contar com caixa d'água suficiente para garantir o abastecimento por pelo menos 24 horas, diz a companhia, diz a empresa.

 

Fonte: *Via G1 - Clipping

COMENTÁRIOS