Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

RACIONAMENTO OFICIALIZADO: Adasa "decreta" resolução pelo tempo necessário

O CORTE SERÁ AVISADO COM UM DIA DE ANTECEDÊNCIA E A INTERRUPÇÃO DO ABASTECIMENTO PODE CHEGAR A 24 HORAS

O rodízio no abastecimento de água no Distrito Federal está valendo desde ontem (21). A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento (Adasa) declarou estado de restrição de uso dos recursos hídricos e regime de restrição de abastecimento nas localidades de São Sebastião, Jardim Botânico, Sobradinho I e II, Planaltina e Brazlândia.

A situação foi regulamentada por meio da resolução nº 16/2016.

Resultado de imagem para racionamento de agua

 

Segundo a Adasa, a medida será mantida pelo tempo “Necessário” até a “garantia de manutenção dos níveis dos sistemas isolados de abastecimento nas regiões”. O rodízio terá um plano semanal apresentado pela Caesb e aprovado pela Adasa. A interrupção não poderá ultrapassar 24 horas seguidas e deverá ser avisada com, pelo menos, um dia de antecedência.


Resultado de imagem para racionamento de agua df

Em nota, a Adasa garante o fornecimento de água ininterrupto a hospitais, centros de diálise, unidades de atendimento destinadas à preservação da saúde e estabelecimentos de internação coletiva.

 

Os cortes devem ser divulgados semanalmente no endereço eletrônico da Caesb.


Sem águaResultado de imagem para racionamento de agua

O corte no abastecimento já vem sendo realizado em diversas regiões nas últimas semanas. Segundo a Adasa, a situação continua a mesma, mas, com o decreto, passa a ser disciplinada para garantir a economia.


Plano adiado

A intenção do governo do DF era de utilizar a captação do Lago Paranoá para atenuar o transtorno. No entanto, grande parte da obra, 86%, dependeria de recursos do governo federal. Não há previsão para esse repasse, já que as prioridades são outras.

As chuvas começam a dar sinais na capital federal. As precipitações continuadas podem recuperar os reservatórios que abastecem a Grande Brasília. Enquanto isso não acontece, resta à população economizar.

 

COMENTÁRIOS