Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

NOVA FERRAMENTA: Rastreamento por satélite e novo sistema de dados ajudarão no combate ao crime

Sistema de georreferenciamento das ocorrências da Central Integrada de Atendimento e Despacho informará com maior precisão local da chamada

“O comandante visualiza em um painel o dia, o horário e o local. Isso vai ajudar a identificar as ocorrências mais características de uma segunda-feira em Ceilândia, por exemplo.”


A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social lançou sistema integrado de informações capaz de identificar com precisão os locais de chamadas para as centrais de emergência 190, da Polícia Militar, e 193, do Corpo de Bombeiros.

 

A medida visa identificar a demanda de cada região e os pontos com mais ocorrências para que os gestores promovam ações pontuais.

A apresentação foi feita nesta segunda-feira (10), na Academia de Polícia Militar.

Sistema de georreferenciamento
Policiais militares recebem instruções sobre o sistema integrado de informações capaz de identificar com precisão os locais de chamadas para as centrais de emergência 190 e 193

Quem acionar a Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade) terá o número de telefone e a localização exata identificados por tecnologia de georreferenciamento, pela qual os dados serão enviados de satélites para o Sistema de Gestão de Ocorrências (Sigeo).

Isso facilita o monitoramento constante de crimes e a celeridade no envio de viaturas.

“Os comandantes das unidades vão saber com precisão a data, a hora e o local do crime para determinar onde colocar policiais”, explica o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marco Antônio Nunes.

 

“Além disso, cruzamos dados da Polícia Civil existentes nas delegacias, os da Polícia Militar por meio do 190 e os de uma pesquisa de vitimização, em que entrevistamos moradores de cada região administrativa para identificar os tipos de crime e combatê-los mais rapidamente.”


Caberá aos profissionais da Ciade armazenar as informações passadas pelos solicitantes. Policiais e bombeiros militares poderão acessá-las dos batalhões e dos quartéis. Os gestores também podem acrescentar dados de levantamentos próprios.

A ideia é que, aos poucos, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) e a Polícia Civil também integrem o sistema.


Os comandantes vão ter acesso a análises estatísticas e mapas com horários, dias e locais em que as pessoas mais acionam as forças de segurança.

“O comandante visualiza em um painel o dia, o horário e o local. Isso vai ajudar a identificar as ocorrências mais características de uma segunda-feira em Ceilândia, por exemplo”, disse o coordenador de coleta e tratamento de dados da Subsecretaria de Gestão da Informação, da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, o major da Polícia Militar Célio Dutra. “Isso facilita a distribuição do efetivo e ações de prevenção.”


O Sigeo custou R$ 192 mil, recursos do Tesouro descentralizados para a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social. Ele entra em funcionamento ainda nesta semana.

 

COMENTÁRIOS