Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: Supostos estudantes da UnB não comprovam matrícula e perdem passe estudantil

O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) suspendeu o uso do Passe Livre Estudantil de 828 pessoas que não comprovaram matrícula em cursos da Universidade de Brasília (UnB).
O órgão havia cruzado dados do benefício e identificou que 1.236 estudantes que alegavam estudar na UnB não estavam matriculadas junto à instituição.
O DFTrans então deu a essas pessoas o prazo de 6 a 16 deste mês para regulamentar a situação.

Segundo o DFTrans, apenas 408 pessoas enviaram as justificativas, que agora passam por análise do órgão. O pente-fino atingirá todas as instituições de ensino para conferir a validade das matrículas informadas.

“É importante também que as escolas que ainda não cadastraram seus representantes junto ao órgão, via Sistema de Cadastro de Instituições de Ensino (SCIE), no portal do DFTrans (www.dftrans.df.gov.br), o façam o quanto antes, uma vez que esse procedimento é vital no combate a fraudes”, disse o órgão, em nota.


Esta é a primeira vez que o DFTrans solicita às instituições de ensino o envio mensal ou semestral da lista de alunos com matrícula ativa, como forma de combater possíveis fraudes e identificar quem tem direito ou não à gratuidade. Conforme a Lei 4.462/2010, o benefício é garantido a estudantes que residem ou trabalhem a mais de um quilômetro de onde estuda.

Passes insuficientes

André Borges/Agência Brasília

A reclamação dos passes estudantis em relação à quantidade de acessos é unânime. O DFTrans libera 54 passes. No entanto, o número não é suficiente para quem, como a estudante de psicologia Beatriz Fernandes, utiliza o cartão quatro vezes ao dias.

Para economizar, a moradora de Taguatinga dorme na casa de amigos, na Avenida L2 Norte. Desta forma ela vai andando para universidade.

“É uma situação incômoda. Isso acaba prejudicando os estudos, pois não dá para concentrar no conteúdos das matérias estando fora de casa”, diz. “Cheguei a ir no DFTrans para aumentar o número de passes, mas não deu para resolver porque o sistema estava fora do ar. No site também é complicado para fazer a solicitação”, reitera a futura psicóloga.


Moradora do Gama e estudante de Libras Telma Cedraz dos Santos precisa pegar três ônibus para chegar no campus Darcy Ribeiro. Ela também reclama da pouca quantidade de acessos do passe e da falta de integração. “Pego um ônibus de casa para o BRT, do BRT para Rodoviária do Plano e de lá para a Universidade”diz.


Ela enfrenta a mesma correria para a volta. “Dessa forma eu preciso tirar do próprio bolso para completar”, lamenta. “Já fiz a solicitação para o aumento, mas tem um longo tempo que está em análise”, reclama Telma.

O DFTrans ressalta que a solicitação de aumento no número de acessos deve ser realizada no site www.passelivreestudantil.df.gov.br, no campo “solicitação de acessos”. O portal segue ativo para o envio de novos cadastros desde o dia 1º de junho. Atualmente, mais de 240 mil cadastros estão ativos.

 

Fonte: *Via JBr - Clipping

COMENTÁRIOS