Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

Terminal aéreo de Brasília é considerado o nono melhor do Brasil em pesquisa com usuários

Cuiabá foi avaliado como o pior entre os 15 maiores terminais do Brasil. Levantamento com 13,7 mil usuários foi divulgado pelo governo nesta terça

O aeroporto de Curitiba, no Paraná, foi considerado pelo segundo trimestre consecutivo o melhor do país, de acordo com pesquisa do Ministério dos Transportes feita com passageiros e divulgada nesta terça-feira (25).

 

O terminal recebeu nota 4,68 em uma escala que vai até 5. O aeroporto de Cuiabá, no Mato Grosso, foi o que teve pior avaliação, pelo menos três trimestres – com nota 3,55.


A pesquisa foi feita com 13.721 passageiros nos 15 terminais mais movimentados do país. Juntos, eles movimentam 80% da demanda total nos aeroportos do Brasil.

Os passageiros deram notas para 38 itens e serviços do aeroporto, como tempo de espera em fila de check-in e na restituição de bagagem, limpeza dos banheiros e preço da comida vendida dentro do terminal.


Considerando aeroportos que recebem menos de 5 milhões de passageiros, o aeroporto de Natal foi considerado o melhor, recebendo nota de 4,68. Levando em conta os terminais que recebem mais de 15 milhões de viajantes, Guarulhos é o melhor (nota 4,46).



Mesmo alcançando notas máximas em quesitos como tempo de espera do check-in e qualidade das informações prestadas pelas companhias, o Aeroporto de Brasília ficou com as piores notas em relação a serviços oferecidos. Para os passageiros da capital, o Aeroporto Juscelino Kubtschek é o que tem pior custo benefício em relação aos preço de alimentos, produtos comercializados e estacionamento.



'Aprovação recorde'
De acordo com a pesquisa, o índice geral de satisfação dos passageiros com os 15 maiores aeroportos brasileiros ficou em 89%. No trimestre passado, o número tinha ficado em 86%. A nota média conferida aos terminais ficou em 4,24 -- uma aprovação recorde, segundo o governo.



Segundo o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, o estudo trimestral serve como alerta para a gestão dos aeroportos. “Todos os superintendentes têm acesso à pesquisa [para saber] onde vão mal e bem e fazer acompanhamento de onde tem a melhor gestão. O objetivo é garantir transparência para que todos saibam a opinião do usuário”, disse.

Quintella reconheceu que os preços caros cobrados para a alimentação em aeroportos “joga para baixo” a avaliação geral dos terminais. “A questão dos custos sempre é um impacto negativo nas notas, mas isso não acontece só no Brasil. Em pesquisas feitas em outros países, se observa a mesma situação.”

O ministro também disse que “há exageros” em protestos de auditores fiscais da Receita Federal, que acabam gerando filas nos terminais. Em julho, uma paralisação da categoria em Brasília afetou a fiscalização de cargas e provocou atraso na entrega de malas. O grupo fazia um ato pelo fato de o governo não ter enviado projeto de lei ao Congresso Nacional para reajustar os salários da categoria em 21,3%. O salário inicial de um auditor é de R$ 15.743.


Veja ranking

Curitiba (4,68)
Guarulhos (4,46)
Recife (4,43)
Santos Dumont (4,40)
Campinas (4,39)
Natal (4,36)
Porto Alegre (4,29)
Manaus (4,26)
Brasília (4,22)
Confins (4,20)
Fortaleza (4,17)
Galeão (4,16)
Congonhas (4,06)
Salvador (3,86)
Cuiabá (3,55)

 

Fonte: *Via G1 - Clipping

COMENTÁRIOS