Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

ESCOLAS OCUPADAS: PM vai desocupar três escolas da rede pública de Brasília nesta quinta (3)

PM vai desocupar três escolas da rede pública do DF nesta quinta (3)

A Polícia Militar começou a desocupar três escolas de ensino médio nesta quinta-feira (3/11). As unidades da rede pública do DF estão com ordem judicial para serem liberados. São elas o Centrão, em Planaltina (foto de destaque abaixo); o Elefante Branco, na Asa Sul; e o Gisno, na Asa Norte.

 

 Segundo a PM, a Justiça determinou que os estudantes deixem todos os colégios ocupados. A medida foi tomada para desestimular outras invasões, já que na noite desta quarta (2) o Centro de Ensino Médio 01 do Gama foi tomado pelos alunos.

 

O colégio é um dos maiores da cidade e sempre teve atuação destacada nos movimentos estudantis. Foi o primeiro do Gama a ser ocupado em protesto contra a reforma do ensino médio e as PECs 241 e 55 que limitam o teto de gastos para saúde, educação, segurança, e outros gastos sociais.

Michael Mello/Metrópoles

 

Em relação à retirada dos estudantes, a PM informou que a princípio a remoção será negociada pelo Batalhão Escolar. Equipes de negociadores estão sendo enviadas às escolas. Caso o diálogo não resolva, outras medidas serão tomadas. 

 

As operações devem ser feitas com auxílio da Vara da Infância e da Juventude (VIJ). No Gisno, segundo a PM, os próprios alunos decidiram sair pacificamente, sem confusão.


 

A conversa tem sido o caminho mais utilizado para convencer os alunos a deixarem as escolas. Foi o que ocorreu, por exemplo, na tarde de quarta no Centro de Ensino Médio Setor Oeste (Cemso), da 702 Sul, que foi desocupado pacificamente. Nos demais estabelecimentos, a negociação continua.

No momento, há três escolas ocupadas no Distrito Federal, além da Universidade de Brasília (UnB) – campi Planaltina e Asa Norte.


Alunos sem aula
Em nota, a Secretaria de Educação informou que esses estabelecimentos atendem cerca de 7.500 alunos, que estão sem aulas às vésperas do Exame de Avaliação do Ensino Médio (Enem), com provas agendadas para sábado (5) e domingo (6).

De acordo com a pasta, “as ocupações prejudicam o andamento das aulas na rede pública de ensino e a negociação com os manifestantes busca garantir que as aulas ocorram normalmente, sem que haja prejuízo dos conteúdos ofertados”.


O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, assegura que nenhuma discussão sobre o ensino médio ocorrerá sem a participação ativa da classe estudantil durante o processo. “Cabe ressaltar que a pasta vai realizar, a partir do dia 24 de novembro, fórum de discussão sobre as propostas para reformulação do Ensino Médio com a participação da comunidade escolar em todas as Coordenações Regionais de Ensino do DF”, diz a nota.

O Ministério Público do DF (MPDF) também se manifestou sobre as desocupações. Em nota, defendeu a saída dos estudantes das escolas ocupadas. O órgão afirmou estar “no cumprimento do seu dever constitucional, atuando rapidamente para cessar a situação de risco a que crianças e adolescentes estão submetidos e para garantir a manutenção integral de seus direitos fundamentais, uma vez que a escola é para todos”.

 

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS