Image and video hosting by TinyPic

 

Image and video hosting by TinyPic

 

compartilhar

EXAME DO ENSINO MÉDIO: Em Brasília 8.409 inscritos não farão provas neste fim de semana

Por conta da ocupação das escolas em várias locais do país, inclusive no Distrito Federal, eles só poderão fazer as provas nos dias 3 e 4 de dezembro

Na Grande Brasília, 8.409 pessoas inscritas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não farão as provas neste fim de semana, de um total de 185.584 candidatos.

Em todo o Brasil, serão 240.304 pessoas. Por conta da ocupação das escolas em várias cidades do país, eles só poderão fazer as provas nos dias 3 e 4 de dezembro.

 Os números são maiores do que os divulgados anteriormente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

Alguns dos locais ocupados já foram liberados no Plano Piloto e algumas cidades-satélites, mas segundo o MEC não houve tempo hábil para preparar os espaços. Em todo o Brasil, 364 escolas estão ocupadas. Na capital do país, apenas algumas áreas da Universidade de Brasília (UnB) continuam tomadas por estudantes.

Confira a lista das escolas que não poderão ter provas no "quadrilátero":

CEM 02 – Gama – 864 inscritos
CEM 304 – Samambaia – 800 inscritos
CEMTN – Taguatinga Norte – 339 inscritos
Centrão – Planaltina – 828 inscritos
IFB – Samambaia – 751 inscritos
IFB – Riacho Fundo – 460 inscritos
UnB – Plano Piloto – 3.113 inscritos
UnB – Campus Planaltina – 623 inscritos
UnB – Pavilhão Anísio Teixeira – 27 inscritos
UnB – Pavilhão João Calmon – 604 inscritos


A presidente do Inep, Maria Inês Fini, informou nesta sexta-feira (4/11) que todos os candidatos afetados pela alteração serão avisados por e-mail, SMS e pelos sites do Inep. Sobre a coincidência entre a data da prova extra com a de vestibulares e do Programa de Avaliação Seriada (PAS), ela lamentou: “Esses estudantes que terão que fazer uma escolha”.


 

O ministro da Educação, Mendonça Filho, explicou que está em contato com os governadores de todos os estados e do DF para pedir reforço policial na aplicação do exame neste fim de semana.

Quando pedimos aos governadores que coloquem reforço de segurança é para preservar o direito de ir e vir, além de garantir que as provas não sejam violadas. Se tiver uma situação de risco, a recomendação é para que as provas sejam suspensas. Não queremos criar a situação de que os policiais formem um corredor humano para dividir quem não quer fazer de quem deseja realizar o exame."
Ministro Mendonça Filho

Os locais de prova estão equipados com detectores de metal e haverá coleta de impressão digital para confirmação de identidades. Celulares são expressamente proibidos e serão recolhidos na entrada das salas.


Na Justiça

Nesta quinta-feira (3), a Justiça Federal no Ceará rejeitou o pedido do procurador da República, Oscar Costa Filho, do Ministério Público Federal no Ceará, de adiar o Enem para todos os candidatos do País. Com isso, a prova para a maior parte dos inscritos – não afetada pelas ocupações – está confirmada para este fim de semana, 5 e 6 de novembro.

A Advocacia-Geral da União (AGU) comunicou à Justiça Federal no Ceará que uma eventual suspensão do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) causaria um prejuízo de R$ 776 milhões aos cofres públicos. Com a adoção de uma prova extra, os custos serão menores: R$ 12 milhões.

Além do prejuízo, a mudança no cronograma também atrasaria a divulgação dos resultados, prevista para a segunda semana de janeiro. Assim, estudantes também seriam prejudicados no acesso ao sistema para escolher as universidades que adotam o Enem como meio de seleção, afirmou a AGU.


Confira a lista com todas as escolas do Brasil que não terão prova:

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS