compartilhar

FESTEJOS DO MOMO: GDF prevê R$ 1,2 milhão para blocos de Carnaval e deve negar verba a escolas de samba

Valor é o mesmo deste ano; captação no setor privado terá regras novas. Escolas não desfilam desde 2015 por falta de dinheiro, e dizem ter dívidas.

O governo do Distrito Federal afirmou nesta terça-feira (22) que deve repassar R$ 1,2 milhão para a realização do Carnaval de rua em 2017.

 

O valor é o mesmo destinado às festas neste ano e, mais uma vez, não deve contemplar a festa das escolas de samba, que desfilaram pela última vez em 2014.


O valor foi anunciado em uma reunião da Secretaria de Cultura com representantes dos blocos de rua e das agremiações que desfilavam no Ceilambódromo.

O dinheiro deve ser empregado na contratação de banheiros químicos, equipes de vigilância e palcos espalhados pelas regiões administrativas, a exemplo do que foi feito neste ano.


Se o plano for mantido, o dinheiro público não poderá ser usado para custear o cachê das atrações musicais – o governo recomenda que os produtores façam parceria com a iniciativa privada. A Secretaria de Cultura definiu novas regras para essa captação, e os blocos têm até o próximo dia 9 para apresentar projetos à pasta.


Escolas de samba
No início do ano, o secretário de Cultura, Guilherme Reis, afirmou que seria necessário um aporte de R$ 13 milhões para bancar o setor artístico, que inclui as escolas de samba e cantores para os blocos.


Em julho de 2014, o ex-governador Agnelo Queiroz aprovou o projeto para o Carnaval de 2015, com repasses previstos de R$ 6,35 milhões para escolas de samba e blocos. O aporte foi cancelado. A festa deste ano nem chegou a ser calculada pelo governo – as escolas disseram precisar de R$ 6,5 milhões.

Fantasias que tinham sido confeccionadas para os festejos do ano passado foram guardadas nos barracões, para uma eventual retomada do desfile.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS