compartilhar

SALÁRIOS DO GDF: Deputados distritais aprovam uso da previdência para pagar folha do governo

Ao todo, 17 deputados votaram a favor do projeto do governo. Seis deputados votaram contra e uma se absteve.

Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou nesta quinta-feira (1º) o projeto que prevê usar o superávit da previdência de servidores públicos para pagar salários até fevereiro. Ao todo, 17 deputados votaram a favor do proposta, de interesse do governo, 6 votaram contra e a deputada Liliane Roriz (PTB) se absteve.


O projeto passou por três comissões e foi aprovado em dois turnos. Um dos distritais que votaram a favor, o deputado Agaciel Maia (PR) comemorou o resultado. "A medida não é impopular e acho que, dada a relevância, as manifestações foram mínimas. A votação mostrou que é um projeto bom para a população porque vai colocar um dinheiro que hoje está parado na economia e vai permitir ao governo pagar os servidores em dia", declarou.


O deputado Wasny de Roure (PT) faz parte do grupo de distritais que votaram contra. "É uma dilapidação da previdência dos servidores, uma legislação que afronta a Lei de Responsabilidade Fiscal. O Iprev [Instituto de Previdência dos Servidores Públicos] e o governo estão fazendo um cálculo errado: não existe superávit no Iprev", disse.


A votação ocorreu sob protesto de servidores, que acompanharam o debate no plenário. "Foi decepcionante. Um projeto que se presta à discussão de um assunto tão importante não deveria ser discutido apressadamente. É a segunda vez que o governo visita os cofres da previdência, que não podem ser objeto de empréstimo", afirmou o secretário-geral do Sindicato dos Bancários, Cristiano Severo.


O governador Rodrigo Rollemberg pode, ainda nesta quinta, sancionar o projeto. Se isso acontecer, a decisão pode sair em uma edição extra do Diário Oficial e valer de imediato.


Entenda o projeto 
Na segunda (28), o governo anunciou que iria pedir à Câmara autorização para remanejar 75% do superávit do Iprev para fechar a folha de pagamento de funcionários da ativa nos próximos três meses. Em troca, para manter o pagamento a aposentados e pensionistas o governo tornaria o Iprev acionista do Banco de Brasília (BRB). Com isso, o governo quer poder movimentar R$ 493,5 milhões nos cofres públicos.


Ao G1, Rollemberg disse que a proposta é “boa para todo mundo” e que ele mesmo participou das negociações para aprová-la. “Eu me reuni com 14 deputados, falei com outros ao telefone, e percebemos que é a única alternativa para pagar os aposentados que entraram antes de 2007 e com isso liberar a fonte 100 [o “caixa principal”] para pagamento dos servidores em dia. Se eventualmente a Câmara não aprovar, provavelmente não teremos condição de fazer o pagamento dos servidores no quinto dia útil do mês”, disse o governador.


VEJA COMO FORAM OS VOTOS

A favor
Agaciel Maia (PR)
Chico Leite (Rede)
Chico Vigilante (PT)
Claudio Abrantes (Rede)
Rodrigo Delmasso (PTN)
Joe Valle (PDT)
Julio Cesar (PRB)
Lira (PHS)
Luzia de Paula (PSB)
Prof. Israel (PV)
Reginaldo Veras (PDT)
Rafael Prudente (PMDB)
Ricardo Vale (PT)
Robério Negreiros (PSDB)
Sandra Faraj (SD)
Telma Rufino (sem partido)
Juarezão (PSB)

Contra
Wasny de Roure (PT)
Wellington Luiz (PMDB)
Celina Leão (PPS)
Cristiano Araújo (PSD)
Raimundo Ribeiro (PPS)
Bispo Renato (PR)

Abstenção
Liliane Roriz (PDT)

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS