compartilhar

"PEGARAM PESADO": TJDF condena policiais civis por torturarem homem em 2010

Suspeita de roubar carros, vítima foi agredida e sufocada para confessar crime e facilitar a obtenção de provas. Agentes podem recorrer em liberdade.

A Justiça do Distrito Federal condenou quatro policiais civis por torturarem, em 2010, um homem suspeito de furtar carros. Segundo a denúncia do Ministério Público, a vítima foi agredida com tapas na orelha e chutes nas pernas, e sufocado com um saco de lixo. Os agentes foram condenados a dois anos de prisão e à perda do cargo, mas podem recorrer em liberdade.


O crime ocorreu há seis anos e começou no estacionamento de um shopping, entre a Asa Sul e o Guará. No dia 4 de maio de 2010, o guardador de carros Vitor Hugo Moreira foi levado à 8ª Delegacia de Polícia (SIA), suspeito de furtar carros.


De acordo com a denúncia, os policiais não tinham mandado de prisão, nem intimação, nem registro de flagrante. Mesmo sem esses documentos, na delegacia, os agentes mostraram ao suspeito imagens de câmeras de segurança em que ele aparecia furtando uma caminhonete, em uma concessionária da região.


Ao ver a filmagem, Moreira teria confessado o crime. Os policiais pediram o endereço dele para buscar mais provas, mas o suspeito deu o endereço errado. Segundo o MP, foi essa atitude que deu origem às agressões.


Após ser golpeado e sufocado, de acordo com a denúncia, Moreira cedeu e disse onde estavam os carros roubados. Na casa dele, os policiais encontraram um motor e um câmbio. Em seguida, retomaram as agressões físicas e psicológicas até que o suspeito desse informações sobre a arma usada no crime.


Laudo e suspeita
As agressões foram confirmadas em um laudo de perícia, depois que Moreira procurou a Corregedoria da Polícia Civil e denunciou a tortura que tinha sofrido. O processo lista quatro agentes que teriam levado ele à delegacia do SIA: João Paulo Fernandes Dias, Estanislau Dantas Montenegro, Edelviges Felipe Oliveira Neto e Flávio de Almeida e Sá.

Dois desses policiais, Dantas e Oliveira, também foram denunciados por crime de tortura em outro caso de grande repercussão no DF – o crime da 113 Sul. Segundo a denúncia, eles sequestraram a filha do ex-porteiro Leonardo Alves, condenado por triplo homicídio, para que ele confessasse o crime. O processo ainda não foi julgado.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS