compartilhar

TEMPO DE FÉRIAS: Roubo a residências aumenta 46,8 por cento em Brasília. Se for viajar, fique atento

Ao todo, 684 casas foram alvo de bandidos entre janeiro e setembro deste ano contra 466 em 2015. Nas férias, imóveis ficam mais vulneráveis

No Distrito Federal, a cada dia, pelo menos duas casas são alvo da ação dos bandidos. O avanço da criminalidade provocou um aumento de 46,8% no número de roubos a residências nos primeiros nove meses deste ano em comparação ao mesmo período de 2015. As ocorrências tendem a aumentar nesta época do ano, quando começam as férias e as famílias viajam, deixando para trás imóveis vazios e vulneráveis à ação de bandidos.


Para tentar reduzir as estatísticas, a Polícia Militar dá dicas valiosas aos brasilienses para que o período de descanso não se transforme em dor de cabeça. Ao todo, 684 casas foram invadidas por criminosos entre janeiro e setembro deste ano, contra 466 em 2015.


O números não contabilizam os furtos (quando não há o uso de violência), já que a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social deixou de divulgar esse tipo de ocorrência. Na casa de Jair Gomes Lira, 54 anos, os ladrões já praticaram as duas modalidades: roubo e furto. O imóvel da família, na Asa Sul, já foi invadido três vezes: “Em duas, não estávamos em casa. Os bandidos levaram computadores, televisores, roupas e outros objetos de valor”.


 

Na última, em agosto, ele e a mulher estavam em casa e ficaram sob a mira de uma arma. “Até hoje não nos recuperamos”, conta. Uma cerca elétrica foi instalada e, quando todo mundo sai de casa, alguns cuidados são tomados, como contar com a ajuda de vizinhos para vigiar.

De acordo com a PM, sinais de abandono no imóvel são o principal fator responsável por atrair os criminosos. A corporação alerta para pequenos cuidados que ajudam a evitar furtos e roubos residenciais. Para quem vai viajar, a recomendação é mostrar movimento na casa.


Vale pedir que vizinhos ou parentes frequentem constantemente o imóvel. Segundo os especialistas da Polícia Militar, ladrões costumam procurar casas desabitadas tanto para furtos quanto para outras ações criminosas, como para esconder drogas ou armas.


Cuidado com as redes sociais
O morador também precisa ficar atento a certas medidas pessoais. Entre elas, não divulgar nas redes sociais datas em que estará fora do domicílio e, principalmente, não comentar com estranhos sobre a viagem.

Além disso, deve-se evitar janelas sem grade e reforçar as portas com trancas. A polícia acredita que os bandidos procuram facilidade e, em menos casos, tentam arrancar uma grade ou uma barreira mais resistente.

Reprodução/Agência Brasília

 

Outra dica é deixar os vizinhos de confiança cientes sobre quanto tempo estará ausente do imóvel e, quando estiver fora, fazer contatos constantes com essas pessoas para saber se tudo está em ordem. Em relação aos bens, deve-se evitar que joias e dinheiro fiquem na casa, mesmo que dentro de cofres.

Uma atitude que pode atiçar a curiosidade de pessoas mal-intencionadas é acomodar malas em veículos. Esse procedimento tem de ser feito na garagem de modo a não mostrar que a família está de partida.

Além de todas essas orientações, na medida do possível, sugere-se instalar alarmes interligados a casas de parente ou vizinho. Comportamentos estranhos de pessoas rondando a residência devem ser comunicados à Polícia Militar. 

 

COMENTÁRIOS