compartilhar

EMBRIAGADOS INFRATORES: Mesmo com multa mais cara, Grande Brasília tem um condutor flagrado bêbado por hora

Preço da multa para infrações desse tipo subiu mais de R$ 1 mil. No entanto, em novembro, 843 motoristas foram autuados

Um mês após o aumento no valor das multas para motoristas flagrados enquanto dirigem embriagados, o Distrito Federal ainda traz uma estatística preocupante: dados preliminares do Departamento de Trânsito do DF (Detran) mostram que, em novembro, 28 motoristas foram autuados pela infração por dia na capital federal, ou seja, mais de um por hora. Ao todo, foram notificados 843 condutores dirigindo embriagados no mês passado, em operações do Departamento de Estradas e Rodagem do DF (DER-DF), da Polícia Militar e do Detran.


O número representa aumento de 11% em relação a novembro de 2015, quando foram autuados 757 motoristas, e pode ser ainda maior já que, segundo o Detran, ainda há multas em processamento. Ao longo deste ano, também foram registrados mais condutores embriagados do que no mesmo período do ano passado. Entre janeiro e outubro de 2016, foram 11.054 autuações, contra as 10.854 computadas em 2015.


De acordo com o diretor de Policiamento e Fiscalização de Trânsito do Detran-DF, Silvain Fonseca, o aumento no número de notificações se deve ao aumento na fiscalização. “Desde 2006, a legislação vem passando por alterações e facilitado as medidas de inspeção. Hoje em dia, somos capazes de identificar boa parte dos casos antes que ocorram acidentes”, afirma.


 

Apesar do alto número de casos, o índice de novembro ainda apresenta redução em relação ao resto do ano de 2016. Entre janeiro e outubro, a média diária foi de 36 autuações de direção alcoolizada por dia. Fonseca afirma que, desde o aumento nos valores das multas, as equipes do Detran-DF notaram uma pequena redução nas notificações do tipo, mas “nada muito expressivo”


O diretor explica ainda que os altos índices são causados por uma parcela da sociedade que “aposta na impunidade” e defende uma fortalecimento ainda maior da legislação. “Se os carros de motoristas flagrados nessas situações fossem apreendidos, por exemplo, o incômodo ia ser maior e as pessoas tomariam mais cuidados”, finaliza.

 

Multas
Desde 1º de novembro, as multas de trânsito em todo o Brasil estão mais caras. As pessoas flagradas dirigindo alcoolizadas, por exemplo, agora terão de pagar R$ 2.934,70. Até o mês passado, o valor era de R$ 1.915,40.

Confira abaixo os valores atualizados das multas de trânsito.

Info/Metrópoles
INFO/METRÓPOLES
Traços culturais

Para o psicólogo especialista em comportamento no trânsito e professor da Universidade de Brasília (UnB) Fábio Iglesias, a combinação entre volante e álcool não vai acabar da noite para o dia. “O sucesso de medidas como a Lei Seca é evidente, mas nós temos décadas e décadas de motoristas que sistematicamente bebem e não são pegos ou, quando causam um acidente, não respondem por isso”, afirma.


O professor explica que ainda existe uma cultura muito forte de consumo de álcool aliado a direção e que, mesmo com a tolerância zero prevista na legislação, as pessoas ainda acreditam que podem dirigir caso bebam pouco. “O motorista embriagado conta com a sorte porque sabe que a fiscalização não pode estar em todos os lugares. Além disso, fica com o julgamento prejudicado exatamente por estar bêbado”, argumenta.


Apesar da reincidências desses comportamentos, o professor acredita que a atual política de combate a condutores alcoolizados é efetiva, ainda que possa passar por alguns ajustes: “Os dados mostram o sucesso dessas medidas. Sempre vão ocorrer acidentes, o que não se pode fazer é confundir falhas pontuais com a falência da política”.

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS