compartilhar

NAS GARRAS DO LEÃO: Em Brasília, 32 mil contribuintes caem na malha fina do Imposto de Renda

A omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes é o principal motivo para retenção das declarações

A Receita Federal liberou nesta quinta-feira (8/12) a consulta ao sétimo e último lote de restituição do Imposto de Renda de 2016. Ao todo, 1,6 milhão de contribuintes receberão devolução.

 

Outros 771.801 ficaram presos na malha fina.

Destes, 32.083 são do Distrito Federal.


O número de pessoas na malha representa 2,61% do total de declarações apresentadas à Receita Federal este ano. A omissão de rendimentos do titular ou de seus dependentes é o principal motivo para retenção das declarações.

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os outros motivos são: divergências entre o IRRF informado na declaração e declarado pelas empresas; dedução de previdência oficial ou privada, dependentes, pensão alimentícia e outras; e inconsistências em despesas médicas.


 

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet ou ligar para 146, no Receitafone.


Confira se sua declaração está na malha

– Acesse o site da Receita. Consulte o Extrato do Processamento da DIRPF, em Pessoa Física/IRPF/2016.

– O serviço é acessível mediante uso de certificação digital ou código de acesso;Ao acessar o extrato, é importante prestar atenção na seção “Pendências”.

– É nessa seção que o contribuinte pode identificar se a declaração está retida em malha fiscal, ou se há alguma outra pendência que possa ser regularizada por ele mesmo;Resultado de imagem para imposto de renda 2016

– Se a declaração estiver retida em malha fiscal, nessa seção, o contribuinte encontra um link para verificar, com detalhes, o motivo da retenção e consultar orientações de procedimentos;

– Constatando erro na declaração apresentada, o contribuinte pode regularizar sua situação apresentando declaração retificadora;

– Inexistindo erro na declaração apresentada e estando de posse de todos os documentos comprobatórios, o contribuinte pode optar entre aguardar intimação ou agendar pela internet uma data e local para apresentar os documentos e antecipar a análise de sua declaração pela Receita Federal.

  

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS