compartilhar

COLETA SELETIVA NO GUARÁ: Moradores da cidade-satélite protestam pela volta do serviço do SLU

Em nota, o SLU informou que está reorganizando o serviço e um edital será aberto para que seja restabelecido em 2017

Cansados de esperar uma resposta do governo sobre a ausência da coleta seletiva do lixo, moradores da QE 46, no Guará II, estão protestando. O caminhão do Serviço de Limpeza Urbana (SLU ) não passa pelo local há cerca de três meses. Durante o ato, os manifestantes colocaram sacos de lixo no campo de futebol da quadra.


De acordo com a líder comunitária da QE 46, Célia Caixeta, desde que o programa de coleta seletiva foi implementado, toda a comunidade passou a separar o lixo corretamente. “Houve reuniões na administração para ensinar como separar o lixo. Foi um trabalho de formiguinha, demorado. Todo mundo passou a fazer sua parte”, conta.


A ausência do serviço foi aos poucos. “Toda quinta passava o caminhão com a música para a coleta. Aí começou a faltar, não vinham no horário certo. De repente, cortou. Falaram que voltariam em um mês, mas já faz três meses”, critica.


Para a líder comunitária, a falta da coleta gera desperdício. “É muito lixo rico jogado fora. Além de prejudicar o meio ambiente. Com a coleta orgânica eles prensam tudo, podendo até machucar um gari se tiver caco de vidro, e dificulta o trabalho dos catadores”, diz.

 

Célia ressalta o cuidado com o meio ambiente e a segurança dos garis.

 

 

Dona de uma panificadora da quadra, Maria Ineide Pereira, 63 anos, conta que o lixo produzido pelo comércio poderia ser fonte de renda para outras pessoas. “Junto muita latinha, papelão e outros materiais recicláveis”, garante.


Agora, ela junta todo o lixo em um só. “Quando deixaram de passar, eu deixei de recolher porque jogam tudo em um só caminhão”, afirma.


Cenário nacional

Apenas 1.055 municípios brasileiros fazem a coleta seletiva, o que totaliza apenas 15%. Outros 82% ainda não desenvolveram programas. Os dados são da pesquisa Ciclosoft 2016, divulgada em junho, pela organização Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre).


VERSÃO OFICIAL

Em nota, o SLU informou que está reorganizando o serviço e um edital será aberto para que seja restabelecido em 2017. Os serviços foram suspensos em agosto deste ano em 12 regiões administrativas: Brasília, Guará, Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, SIA, Lago Sul, Jardim Botânico, Lago Norte, Varjão, Sobradinho I e Sobradinho II. “Os moradores podem destinar os materiais recicláveis para cooperativas de catadores. Desta forma, o SLU orienta os moradores a manterem o hábito de separar os materiais recicláveis dos resíduos da coleta convencional (orgânicos e rejeitos) até que o serviço seja retomado”, sugere, em nota.

 

Fonte: *Via JBr/Clipping

COMENTÁRIOS