compartilhar

ELEIÇÕES 2018: Izalci defende aliança em favor de Brasília e afirma que será candidato ao GDF

Durante encontro com jornalistas nesta sexta-feira, o deputado federal Izalci Lucas (PSDB) falou da necessidade de uma aliança programática em favor de Brasília e condenou quem faz política apostando no “quanto pior, melhor”.

 

O parlamentar lembrou das dificuldades que o governo do Distrito Federal enfrenta e que o momento é das forças políticas se unirem deixando de lado as questões partidárias e em favor da cidade. “Os interesses de Brasília estão acima das disputas partidárias”, disse.


O deputado ressalta que neste momento de dificuldade que o país e o DF estão atravessando, uma aliança programática é o melhor que se pode fazer, pensando em Brasília. “Não vejo nenhum problema em estender a mão ao governador Rodrigo Rollemberg”, ressalta o parlamentar.


Izalci entregou ao governador Rodrigo Rollemberg um documento para que se possa construir uma gestão integrada em favor do DF, com pontos defendidos pelo PSDB. (veja íntegra do documento abaixo)

izalci

Questionado se nesta aproximação com Rollemberg, iria ser discutido cargos, o parlamentar de pronto afirmou: “o PSDB neste momento se recusa a debater e discutir cargos no governo”.


O parlamentar fez um balanço de sua atuação parlamentar e como coordenador da bancada do DF na Câmara Federal. Defendeu a Medida Provisória do Ensino Médio que tramita no Congresso Nacional. Para ele, foi uma grande vitória para o Brasil. Izalci foi o presidente da Comissão Especial que debateu a MP.


O deputado também foi relator da Comissão parlamentar de Inquérito da Lei Rouanet.

Como coordenador da Bancada do DF no Congresso Nacional, Izalci destacou que “depois de muito trabalho, conseguimos mais de R$ 380 milhões em emendas ao Orçamento para o Distrito Federal no próximo ano. Vamos trabalhar para que em 2017 tenhamos nossas emendas liberadas e assim ajudar o DF a voltar a crescer e ter obras”.


Izalci reafirmou, ainda, que é candidato ao governo do Distrito Federal, porém entende o momento crítico que o DF está passando, e está aberto para manter um diálogo construtivo com o Palácio do Buriti, deixando claro que é oposição ao atual governo.

 

Pontos defendidos pelo PSDB-DF para a construção de uma gestão integrada em favor do Distrito Federal:

 

MORALIDADE: Combate irrestrito à corrupção. Apoio aos órgãos de controle, fiscalização e repressão.

 

INTERESSE PÚBLICO: Exclusão do Partido dos Trabalhadores de posições na administração direta e indireta do Distrito Federal em face das graves denúncias verificadas no País e no Distrito Federal, dos desequilíbrios nas contas públicas por eles provocadas e a influência desse partido nas gestões anteriores e atuais.

 

GESTÃO: Reforma administrativa em homenagem ao Estado Eficiente que privilegie a meritocracia, a sociedade e atenda às necessidades públicas, eliminando duplicidades de competências e fisiologismo.

 

SAÚDE: Reorganização da gestão na área da saúde, com ênfase em atendimento de qualidade, planejamento, execução e controle.

 

EDUCAÇÃO: melhoria do sistema de educação por meio da valorização dos professores, reforma da estrutura física, integração escola e sociedade, escola em tempo integral, incremento de ensino profissionalizante.

 

SEGURANÇA PÚBLICA: Reorganização da Segurança Pública no DF com abertura do diálogo com as corporações e entidades representativas. No eixo da repressão, integração regional e local dos órgãos de SSP; No eixo da prevenção, integração dos órgãos de segurança pública com as áreas de educação, lazer, social, esporte e cultura, dando efetivo cumprimento ao disposto no art. 117-A, inciso I a III da LODF.

 

POLÍTICA FISCAL: revisão da Política Fiscal para ajustar carga tributária, simplificar obrigações, reduzir burocracia, revisar incentivos fiscais e defender que o Distrito Federal tenha o mesmo tratamento dos demais Estados na denominada “guerra fiscal”. Integração da Política Fiscal com a Política Desenvolvimentista.

 

RESPONSABILIDADE FISCAL: controle e redução do gasto. Aumento da base de arrecadação e da eficiência sem aumento de carga tributária. Fortalecimento da captação de recursos. Equilíbrio das contas públicas e aporte de recursos em investimentos.

 

TRANSPARÊNCIA: Transparência efetiva e acessível ao público, integrando planejamento, gestão, governança e estrutura de comunicação do governo.

 

CIDADE INTELIGENTE: Integração dos serviços públicos prestados à população num ambiente de cidade inteligente (tecnologia e comunicação).

 

HABITAÇÃO: Efetivo início do processo de regularização fundiária urbana e rural em todo o Distrito Federal, com participação da sociedade civil organizada e dos órgãos envolvidos, com observância da Carta de 1988, das leis e definição de cronograma.

 

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: Integração Regional e Crescimento econômico ordenado e planejado com geração de empregos, aumento da renda de forma a preservar o poder de compra e a qualidade de vida da população, mediante a criação de ambiente competitivo que reduza a burocracia, forneça infraestrutura econômica (polos econômicos já existentes e que venham a ser criados), ajuste a carga tributária e capacite mão de obra.

 

SUSTENTABILIDADE: Criação e implementação de políticas de sustentabilidade, integrando-as às diversas áreas de governo.

 

SOCIAL: Readequação, manutenção e qualificação dos programas sociais.

 

CULTURA/ESPORTE E LAZER: revitalização dos espaços culturais e de prática esportiva, em parceria, conforme o caso, com a iniciativa privada.

 

COMENTÁRIOS