compartilhar

VOLTA A REDUÇÃO: Nível de reservatório do Descoberto cai para 22,81 por cento nesta terça

Santa Maria subiu para 42,75%. Caesb pode racionar água com volume menor que 20%. Recuperação do Descoberto depende de mais chuvas, diz empresa.

O nível do reservatório do Rio Santo Antônio do Descoberto voltou a cair nesta terça-feira (27) e atingiu 22,81% da capacidade.

 

O índice estava em 23% nesta segunda. O espaço é responsável pelo abastecimento de 61% da capital federal e suas cidades-satelites. A Grande Brasília passa pela pior crise hídrica dos últimos 30 anos.

Na bacia de Santa Maria, o nível aumentou nesta terça, passando de 42,67% para 42,75%, devido a chuvas de segunda-feira. Apesar da melhora na taxa, o reservatório apresenta “estado de atenção” (entre 60% e 40% da capacidade).


A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é que o calor continue na última semana do ano. Os termômetros podem chegar a 34º C na próxima quinta (29), diz o instituto. A capital federal deve ter chuvas isoladas no período.


Nesta terça, a Caesb emitiu uma nota dizendo que a recuperação do Descoberto depende de mais chuvas. Segundo a empresa, o volume tem sido menor do que a média histórica para dezembro – o que corresponde a crescimento em relação ao mesmo período do ano passado, quando o reservatório operava com 50% da capacidade.


Em novembro deste ano, a taxa do Descoberto esteve abaixo dos 20% – considerado crítico. Nesta condição, a Caesb fica autorizada a fazer racionamento de água.


A Caesb pede que a população faça o uso racional da água. “Precisamos assegurar e manter a consciência sobre o uso racional para reduzirmos o desperdício. Observamos que temos conseguido diminuições de 14%, mas esperamos que cresça para 15% a 20%. Essa consciência da necessidade da preservação desse recurso hídrico, que é um recurso finito, é extremamente importante”, diz o presidente da Companhia, Maurício Luduvice.


Quando o Distrito Federal entrou em estado de alerta, em 17 de setembro, a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento (Adasa) anunciou que a água potável seria suficiente apenas para os próximos 73 dias – o que daria 28 de novembro.


Para impedir que isso ocorresse, a Caesb suspendeu o fornecimento ou reduziu a pressão de água em diversas localidades. Em setembro, durante o período de seca, a companhia realizou a ação em pelo menos quatro regiões durante três dias seguidos.

Desde novembro, localidades como Vicente Pires e Colônia Agrícola Samambaia têm redução da pressão da água. Em 2 de dezembro foi a vez de Samambaia, seguida por Riacho Fundo II, Recanto das Emas, Gama e Santa Maria.


Depois, sofreram a redução Águas Claras, Arniqueiras, Taguatinga e Riacho Fundo I. Dois dias depois, Park Way, Candangolândia e Núcleo Bandeirante foram alvo da intervenção da companhia.

A Caesb implementa o plano para diminuir o consumo até que o nível do reservatório do Descoberto esteja em condição de “oferecer segurança para o abastecimento”. A redução de pressão já ocorria no período noturno em todas as regiões, segundo a companhia.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS