compartilhar

REAJUSTE DAS TARIFAS: Rollemberg diz que revoga aumento se a Câmara Distrital subsidiar passagens

Governador chegou de viagem para enfrentar crise política e a revolta dos populares, que fizeram manifestação na área central de Brasília

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) desembarcou por volta das 18h desta segunda-feira (2/1) no Aeroporto Internacional JK e descartou revogar o aumento de até 25% nas tarifas dos transportes públicos da Grande Brasilia.

 

Essa opção, segundo o governador, seria possível se a Câmara Legislativa, que criticou o reajuste, cedesse parte do seu orçamento para subsidiar as passagens.


O comando da Casa ameaça aprovar um decreto legislativo que pode revogar o aumento. Rollemberg voltou mais cedo das férias em função da crise política provocada pelo reajuste das tarifas, que começou a valer a partir desta segunda.

O governador deveria voltar de Aracaju (SE) no dia 9 de janeiro, mas mudou os planos.


 

O Executivo também terá de lidar com a insatisfação popular. O fim da tarde desta segunda foi marcado por protestos. Um deles ocorreu mais cedo na Avenida Hélio Prates, em Taguatinga Norte. O outro aconteceu na área central de Brasília.


Os manifestantes começaram a se aglomerar no terminal por volta das 17h30. Chegaram a fechar o Eixo Monumental neste horário. O estudante Breno Lobo, 19 anos, mora no Mangueiral, e estava entre eles. Ele trabalha na Asa Sul e estuda na Asa Norte. Por dia, precisa pegar pegar seis ônibus, agora ao custo de R$ 3,50 cada passagem. “O dinheiro vai todo para pagar a passagem”, diz.


 

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) desembarcou por volta das 18h desta segunda-feira (2/1) no Aeroporto Internacional JK e descartou revogar o aumento de até 25% nas tarifas dos transportes públicos do Distrito Federal. Essa opção, segundo o governador, seria possível se a Câmara Legislativa, que criticou o reajuste, cedesse parte do seu orçamento para subsidiar as passagens.


“Se a Câmara Legislativa, por exemplo, quiser abrir parte de seu orçamento, apontar receitas para custear os recursos, estamos dispostos a atender”, disse o governador ao Metrópoles. A declaração, dada no momento em que começava um protesto de usuários do transporte na área central de Brasília, é em resposta à enxurrada de críticas que o chefe do Executivo sofreu durante a posse da Mesa Diretora da Câmara Legislativa no primeiro dia do ano.

   

Com o Eixo Monumental fechado pelos manifestantes, o trânsito foi desviado para o Setor Hoteleiro Sul. Alguns integrantes do protesto tentaram derrubar uma placa de sinalização no local, mas foram repreendidos pelos outros. A Tropa de Choque da Polícia Militar foi acionada.

 

Com o reforço da PM, os manifestantes seguiram da Avenida W3 Sul para o Setor Comercial Sul. Alguns deles pegaram pedras, mas não houve confronto. Por volta das 19h25, o grupo fechou a Via S1 (Eixo Monumental), sentido Esplanada. O trânsito teve de ser desviado na altura da Rodoviária e do Conic. 


Cercados, os manifestantes entraram em um acordo com os policiais e voltaram para a Rodoviária do Plano Piloto, às 20h. Por volta das 20h10, os manifestantes começaram a se dispersar e o trânsito foi liberado no local.

 

Fonte: *Via Metropole/Clipping

COMENTÁRIOS