compartilhar

PIRATAS TAMBEM MAJORAM: Aproveitando "a onda" no reajuste de tarifas de onibus e metro, "generico" tambem aumenta

Secretaria diz que vai aumentar a fiscalização. Motoristas do Entorno dizem ser agredidos com frequência por piratas.

Seguindo o reajuste na tarifa de ônibus de até 25%, o transporte pirata também ficou mais caro no Distrito Federal.

 

De acordo com passageiros que preferem o serviço irregular, a passagem para cidades-satelites como Planaltina e Sobradinho aumentou para R$ 5, mesmo preço cobrado nas viagens de longas distâncias do transporte da Grande Brasilia após o reajuste.

 

Em nota, a Secretaria de Mobilidade disse que vai aumentar a fiscalização para barrar o transporte pirata.


Na Rodoviária do Plano Piloto, os veículos têm até ponto fixo para parar, na plataforma superior. Os passageiros, pela rapidez, muitas vezes preferem o irregular. “É o transporte mais rápido para a gente chegar em casa. Mais ágil. E a gente vai em pé também nos ônibus. Se elas aumentaram o preço da passagem tinha que ser pelo menos melhor, mais ônibus”, conta a atendente Yasmine Sousa.


No Eixinho Norte também é frequente a ação dos piratas. Com frequência, carros de passeio, vans e até táxis param nas paradas oferecendo viagens para as cidades-satelites. Em uma parada na quadra 210 da Asa Norte, um ônibus não consegue entrar no recuo da pista por causa dos carros estacionados no local (veja foto). Uma passageira precisou passar entre os carros para conseguir embarcar.


Ônibus não consegue estacionar no recuo da parada por causa dos piratas (Foto: Reprodução/TV Globo)Ônibus não consegue estacionar no recuo da parada por causa dos piratas


Entorno
Motoristas que fazem transporte para o Entorno também reclamam de agressões dos piratas. Eles dizem que são atacados e que os ônibus são apedrejados durante os trajetos.


“A gente estava terminando a viagem, chegando em Luziânia e a gente é surpreendido. Quando você menos espera escuta o barulho e o vidro se estilhaçando. Às vezes já voou até pedaço de caco de vidro na gente, inclusive tem colegas que, que, já tiveram problemas na visão porque voou estilhaço nos olhos por causa da pedrada. A gente trabalha com muito medo e sob constantes ameaças deles”, disse um motorista que preferiu não se identificar.


De acordos trabalhadores, há cerca de dez veículos pratas para cada ônibus regular nas cidades do entorno. Em dezembro, um grupo de piratas partiu para cima dos rodoviários no terminal de Luziânia, no Goiás. Um dos motoristas chegou a ser esfaqueado.


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) disse, em nota, que combate regularmente o transporte pirata nas BRs do país. De acordo com a autarquia, em 2016 foram apreendidos 544 veículos em fiscalizações.

 

Fonte: *Via G1/Clipping

COMENTÁRIOS